Anúncios

O Rio Grande do Sul tem instabilidade desde o começo do dia. Áreas de instabilidade pré-frontais trouxeram chuva, raios e trovoadas durante a madrugada em diversas regiões gaúchas, como na Grande Porto Alegre e na Serra. Nuvens carregadas se formaram sob uma atmosfera quente e úmida, favorecendo as pancadas e os raios. A temperatura no final da manhã desta segunda se aproximava dos 30ºC no Noroeste do Rio Grande do Sul enquanto o Centro, o Sul, parte do Oeste e do Leste do Estado enfrentavam chuva e raios.


Ao mesmo tempo que a instabilidade aumentava no territóprio gaúcho nas primeiras horas desta segunda-feira, uma frente fria avançava pela província de Buenos Aires e o Uruguai. No final do domingo e nas primeiras horas de hoje, fortes áreas de tempestade localizadas com granizo, chuva forte e raios se formaram na província argentina a partir de nuvens de desenvolvimento vertical que surgiram ainda no domingo.

O Aeroporto Internacional de Ezeiza, na Grande Buenos Aires, registrou chuva, rajadas de vento e trovoadas na madrugada. A temperatura que no começo do dia era alta, com 21ºC, teve um forte declínio e Ezeiza amanheceu com os termômetros marcando apenas 11ºC. O ar frio, no Sul argentino, trouxe muita neve e transtornos na cidade turística de Bariloche.

A aproximação da frente fria e o ingresso de ar quente de origem tropical por correntes de vento de Norte e Noroeste na manhã desta segunda-feira estimulava a formação de nuvens carregadas sobre o Rio Grande do Sul com múltiplos núcleos de instabilidade. O tempo estava mais instável no Oeste. no Centro e no Sul com muitos raios em algumas localidades e chuva localmente forte.

A atmosfera está muito quente e úmida sobre o Rio Grande do Sul, o que favorece pancadas de chuva localmente fortes a torrenciais e muitos raios. Sondagem por balão meteorológico da manhã de hoje no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, indicou às 9h temperatura em superfície de 18,6ºC, mas entre 300 e 1500 metros de altitude a temperatura estava acima dos 20ºC. Temperatura na casa de 20ºC em 1.500 metros é muito alta em agosto e explica a forte instabilidade.

O estado gaúcho e parte do restante do Sul do Brasil estão  sob a influência de uma corrente de jato em baixos níveis da atmosfera, um corredor de vento a cerca de 1500 metros de altitude que se origina na Bolívia e no Centro-Oeste, trazendo ar quente e reforçando a instabilidade atmosférica com temporatura elevada na baixa troposfera.

Por conta da corrente de jato em baixos níveis, vários municípios do Centro e do Oeste gaúcho tiveram rajadas de vento forte do quadrante Norte durante a manhã de hoje. Na base aérea de Santa Maria, no Camobi, as rajadas estavam em torno de 70 km/h com muito abafamento. No Sul catarinense, na área de Laguna, a estação do Farol de Santa Marta registrou rajadas acima dos 80 km/h.

Na tarde de noite de hoje, a instabilidade aumenta muito no Rio Grande do Sul com o avanço da frente fria sobre uma massa de ar quente. Com isso, a tendência é chover em todas as áreas do estado até o fim do dia, exceção de uns poucos municípios próximos de Santa Catarina.

A frente vai avançar com chuva localmente forte, raios, trovoadas e risco de temporais isolados em que podem ocorrer fortes a intensas rajadas de vento localizadas e queda de granizo. Alegrete já teve granizo miúdo durante a manhã. O mapa de risco de granizo do modelo norte-americano GFS indica chance pequena a média de granizo em parte do Rio Grande do Sul na segunda metade do dia de hoje.

Na noite de hoje, a instabilidade mais forte vai atuar sobre o Centro e a Metade Norte do Rio Grande do Sul, onde a tarde de hoje terá tempo muito abafado com sol, nuvens e chuva isolada com risco de granizo e raios pela alta temperatura. Ao encontrar o ar quente na Metade Norte na noite de hoje, o sistema frontal vai gerar nuvens ainda mais carregadas com alto potencial de chuva localmente forte e tempestades localizadas de vento e granizo.

A frente fria amanhã vai se deslocar para Norte. Com efeito, o sistema frontal avançará durante a terça pelos estados de Santa Catarina e do Paraná, atingindo ainda amanhã parte do Mato Grosso do Sul e algumas áreas do Oeste e do Sul de São Paulo. É o que vai levar chuva para as cidades de Florianópolis e Curitiba.

O sistema frontal, ao se deslocar por Santa Catarina e o Paraná, vai provocar chuva forte em algumas cidades. Mantém-se, ademais, o risco de temporais localizados em que podem ocorrer fortes rajadas de vento e queda de granizo. Tempestades localizadas podem vir a ocorrer ainda em parte do Mato Grosso do Sul. No Rio Grande do Sul, exceção de áreas mais ao Norte, o tempo vai melhorar com sol e nuvens na maioria das regiões.

A segunda metade da semana, entretanto, reserva mais instabilidade. Um centro de baixa pressão que vai migrar do Norte da Argentina e do Paraguai trará muita chuva e tempestades, algumas fortes a severas, no final da quarta-feira nos três estados do Sul.

Na quinta, este centro de baixa dará origem a um ciclone na costa que vai organizar uma nova frente fria que vai trazer chuva e temporais mais em Santa Catarina e no Paraná assim como no Mato Grosso do Sul e o Mato Grosso. A instabilidade afetará também o estado de São Paulo com risco de tempo severo mais localizado.

Esta segunda frente fria da semana será impulsionada por uma intensa e enorme massa de ar frio que vai derrubar a temperatura em muitos estados brasileiros, do Norte, Centro-Oeste, do Sudeste e do Sul do Brasil, com previsão de mínimas extremamente baixas em algumas cidades de maior altitude do Sul do país no final da semana.

Anúncios