Anúncios

O Porto de Rio Grande, no Sul do Estado, está “parcialmente impraticável” desde ontem à noite. Segundo o setor de manobra das embarcações, as condições do mar, vento e correnteza impossibilitam os trabalhos. Navios de calado máximo e leve não receberam autorização para ingressar ou sair da barra. Não há previsão para normalização do serviço. Vários navios esperam para as manobras, seja para sair ou entrar no porto. A Praticagem diz que as ondas fora da barra variam entre 3 e 4 metros.



Mar ressaca na manhã de hoje na praia de Imbé – Divulgação/Ondas do Sul

O mar apresentou condições de ressaca também no Litoral Norte do Rio Grande do Sul nesta terça-feira. A água invadiu a faixa de areia em balnários como Capão da Canoa, Xangri-lá e Atlântida. Na praia de Xangri-lá, a água do mar avançou e alcançou mesmo os cômoros, e inclusive em alguns pontos invadiu até áreas entre as dunas de Xangrilá (foto de Beti Copetti).

Ondas grandes estouravam nos pilares da plataforma de Atlântida, um dos “pico” do surfe na região, na tarde desta terça-feira. Surfistas relataram fortes correntes de Sul no mar. O sol da manhã em Xangri-lá deu lugar a muitas nuvens nesta tarde.



Fotos de Marcelo Nitschke em Atlântida (Xangri-lá) para a MetSul Meteorologia

A ressaca é consequência de swell (ondulação) gerando por uma grande ciclone sobre o Atlântico Sul e que a MetSul vem alertando desde o fim de semana. A tendência é que a ressaca perca força no decorrer da quarta-feira no Litoral do Rio Grande do Sul, mas a agitação marítima se intensificará muito em Santa Catarina nas próximas horas. Entre amanhã e quinta-feira o amplo swell atinge os litorais paulista e do Rio de Janeiro com risco de forte ressaca em algumas praias.

Anúncios