Anúncios

O ciclone extratropical que atua no Atlântico Sul, no seu momento inicial, quando se formou no final da semana passada a Sudeste do Uruguai, provocou um desastre no mar. A forte agitação marítima provocada pelo ciclone gerou uma enorme onda no oceano que atingiu a embarcação de pesquisa sismológica WG Tasman, que estava a 250 quilômetros da costa uruguaia. Um tripulante de 33 anos, de nacionalidade colombiana, desapareceu no mar e outros três ficaram feridos. As condições eram descritas como extremas quando a embarcação emitiu um sinal de socorro, informando o desaparecimento. As ondas eram de quatro metros e o vento forte. A Aviação Naval do Uruguai montou uma operação de resgate com diversas embarcações e sobrevoos, mas não teve êxito em localizar o homem desaparecido no mar. O WG Tasman já atracou na costa do Uruguai.



Fotos da Armada do Uruguai e de Ricardo Figueredo da Agência Punta Press (www.puntapress.com)

Em Santa Catarina, a agitação do mar, ao contrário, fez a alegria dos surfistas. Em um dos principais picos do litoral brasileiro, um ciclone extratropical com importante swell representa altas ondas. Na praia da Tereza, em Laguna, o mar avançou e cobriu a faixa de areia ontem. No mar, nos molhes da barra em Laguna, surfistas aproveitavam o mar grosso com ondas altas com prática de tow-in, com apoio de jetskis (fotografias de Tamiris dos Santos Martins via Facebook da MetSul).



A ressaca perde força hoje no litoral gaúcho, mas a agitação marítima aumenta bastante entre esta quarta-feira e amanhã nas costas de São Paulo e do Rio de Janeiro com a chegada do swell (ondulação) à Região Sudeste. De acordo com o site Waves, especializado em surfe, a previsão de altas ondas provocou uma corrida de surfistas ao litoral no estado de São Paulo.

Anúncios