Anúncios

As imagens de satélite abaixo mostram a formação de um ciclone extratropical entre o Rio Grande do Sul e o Uruguai. Uma área de baixa pressão avançou hoje do Norte da Argentina para o Estado e foi responsável pela forte instabilidade na maioria das áreas do território gaúcho. Nas últimas horas, esta área de baixa pressão começou a se aprofundar e converter-se em ciclone extratropical que atingirá sua maturidade sobre o Oceano Atlântico nesta sexta-feira a Leste/Sudeste do Uruguai. Observa na comparação entre as duas imagens de satélite com intervalo de apenas 3 horas, das 17h30m à esquerda e das 20h30m à direita, como rapidamente começou a se formar a tradicional curvatura associada aos ciclones assim como se intensificou o ramo frio sobre o Paraná. O ramo se desloca agora para São Paulo com chuva forte e prováveis temporais.



Este ciclone, como salientado, vai estar mais organizado nesta sexta-feira sobre o mar à Leste/Sudeste do Uruguai. O centro de baixa se aprofunda rapidamente à medida que se converte em ciclone e da mesma forma se desloca rapidamente, o que permitirá um veloz afastamento do continente. O ciclone vai impulsionar ar seco pelo Oeste, o que permitirá que o tempo melhore com o retorno do sol nesta sexta-feira em grande parte do Uruguai e do Rio Grande do Sul, mas ainda haverá circulação ciclônica com chance de chuva esparsa (em pontos isolados na forma de pancadas), sobretudo no Uruguai e no Sul e no Leste aqui do Estado. Veja a projeção para esta sexta- à tarde do do ciclone no mar e o indicativo da melhora do tempo.


A grande preocupação é com que o que resta do dia de hoje e nas primeiras horas desta sexta-feira. A chuva já é intensa em algumas cidades e tende a seguir forte em várias localidades, em especial do Sul e do Leste do Rio Grande do Sul e do Uruguai. No país vizinho, há o risco de chuva mais intensa nos departamentos de Rocha, Maldonado, San José e Montevidéu pelo “giro” da nebulosidade associada ao ciclone. Em alguns destes departamentos já chove forte nesta noite e pode chover ainda mais. Enfatizamos que as precipitações mais fortes no Uruguai devem ser pontuais, mas com risco de altos volumes isolados. Aqui no Estado, a maior preocupação é com o Sul gaúcho no restante desta noite e na madrugada, onde não se descarta até chuva extrema localizada. Até 22h, em Rio Grande, choveu 87 mm na área da refinaria, 102 mm no Cassino e 88 mm no Parque Marinha. Há múltiplos relatos de alagamentos em Rio Grande. Como deve seguir chovendo forte a intensamente na cidade portuária em alguns momentos durante as próximas horas, assim como em outros pontos do Sul gaúcho, o quadro é preocupante. O risco é que alguns alagamentos sejam significativos com importantes danos a patrimônio.


Alagamentos em Canoas por Paulo Pires do Jornal Diário de Canoas


Alagamentos em São Leopoldo por Roberto Vinicius do Jornal VS


Árvore caiu na Praça da Alfândega de Porto Alegre nesta noite por Brayan Martins/CP

Choveu forte também em Porto Alegre e no Litoral Norte do Estado no começo da noite desta quinta-feira. Porto Alegre começou a quinta- com chuva forte que acumulou só na madrugada 53,7 mm no Jardim Botânico, ou 62% da média histórica de abril inteiro. No começo da noite, a Capital voltou a ter pancadas de chuva fortes a torrenciais. O acumulado do dia até 20h era de 64 mm ou 74% da média de abril todo em só 18 horas. A chuva do início da noite de hoje foi intensa também na Grande Porto Alegre com vários pontos de alagamentos (fotos acima). Em São Leopoldo, havia chovido 55 mm hoje até 20h.

O temporal da madrugada de hoje provocou ainda a morte de três vacas que foram fulminadas por raio em Lomba Grande, interior de Novo Hamburgo. Elas eram responsáveis por metade da produção de leite do sítio (foto acima de Neia Dutra do jornal NH). Também no começo do dia um vendaval trouxe danos em Sobradinho, no Centro-Serra. A chuva intensa que atingiu hoje as Missões provocou o transbordamento de rio entre São Luiz Gonzaga e Rolador e as águas invadiram rodovia. Alagamentos foram registrados em muitas cidades do interior como em Santa Maria, onde só entre 17h e 20h caíram 40 mm.


Rio Piraju transbordou a inundou rodovia que Liga São Luiz Gonzaga a Rolador (Rádio Missioneira)


Ijuí teve entardecer colorido após a maior parte do dia (João Gesing)

O vento também preocupa. Aqui no Rio Grande do Sul deve ser fraco a moderado nesta sexta na maioria das regiões, mas com rajadas ocasionais. No Sul e no Leste do Estado, as rajadas serão mais fortes. Porto Alegre e região pode ter rajadas de 60 a 80 km/h com marcas superiores sobre o Guaíba e a Lagoa dos Patos. Pode ventar forte também na área de Pelotas. O vento mais intenso, contudo, é prognosticado para o Litoral Sul com rajadas em alguns pontos de 90 a 110 km/h. Com o solo encharcado pela chuva forte, é provável que haja queda de árvores. Podem ocorrer transtornos também para a rede elétrica. Já no Uruguai o vento também deve ser forte em parte da costa. O risco maior de vento forte no território uruguaio é para o departamento de Rocha (90 a 110 km/h), mas são esperadas rajadas também mais ao Sul, em Maldonado, Montevidéu, Canelones e San José, porém menos intensas que em Rocha. O vento pode ficar entre 70 a 90 km/h em Maldonado com rajadas ocasionalmente superiores em alguns pontos. Para a área de Montevidéu, o tempo estará bem mais ventoso amanhã e no sábado, mas não se antecipa cenário de risco tão alto com nas últimas ocorrência de ciclones.

Anúncios