Anúncios

Um impressionante número de incêndios está se registrando no Paraguai e em províncias do Nordeste da Argentina como Misiones e Corrientes. A região, assim como o Rio Grande do Sul, enfrenta uma seca severa a excepcional e um novo período de temperatura extremamente alta. As imagens de satélite há dias mostram um impressionante número de focos de calor com muita fumaça na região.

NOAA

Hoje, a fumaça estava sendo canalizada por correntes de vento para o Centro da Argentina, avançando principalmente para Santa Fé e Entre Rios. Amanhã, correntes de vento de Oeste e Noroeste pela condição pré-frontal trarão pro estado gaúcho a grande quantidade de fumaça. O céu pode apresentar tonalidade mais acinzentada em várias cidades do Rio Grande do Sul e as cores no céu ao entardecer devem ser realçadas pela presença de material particulado das queimadas.


De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, somente no primeiro dia de fevereiro a Argentina teve 222 focos de calor detectados por satélite. A média histórica do mês inteiro é de 1193, ou seja, em só um dia o país vizinho teve um quinto da média de incêndios de fevereiro inteiro. Em janeiro, a Argentina teve 7199 focos de calor, muitíssimo acima da média histórica mensal de 1648, valor que superou por ampla margem o recorde mensal anterior de 4624 de 2002.

Ainda conforme o monitoramento do Inpe, somente no primeiro dia do ano o Paraguai registrou 168 focos de calor, quando a média histórica do mês inteiro é de 805. Em janeiro, o território paraguaio anotou 3901 focos de calor, número extremamente alto e acima da média mensal histórica de 861, superando desta forma por larga margem o recorde de janeiro que era de 2122 focos no ano 2000.


No Rio Grande do Sul, o primeiro dia de fevereiro registrou 10 focos de calor detectados por satélites usados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. O número é significativamente alto ao se considerar que a média mensal de fevereiro no estado gaúcho é de 45. Em janeiro, o Inpe registrou 171 focos de calor no território gaúcho, mais que o dobro da média do mês de 71. Foi o janeiro com mais queimadas no Rio Grande do Sul desde 2005 que anotou 186 focos e o recorde segue sendo de janeiro de 2002 com 263.

Militares do Exército e o Corpo de Bombeiros conseguiram controlar hoje um grande incêndio que atingiu durante cinco dias o Campo de Instrução Barão de São Borja, no interior do município de Cacequi, no Centro do Rio Grande do Sul. De acordo com os militares, o fogo consumiu 5 mil dos 54 mil da área do campo do 4º Regimento de Carros de Combate de Rosário do Sul.

Anúncios