Anúncios

Ondas de gravidade geradas pela erupção do Cumbre Vieja em La Palma | INVOLCAN

Quem nunca jogou uma pedra em um lago e viu as ondinhas se formando? A atmosfera igual é um fluído e responde a eventos que a desestabilize como temporais, ciclones ou o encontro do vento com cadeias montanhosas (ondas de montanha). Com os vulcões, ocorre o mesmo em uma erupção. Foi o que se viu nas últimas horas na erupção do Cumbre Vieja, em La Palma, nas Ilhas Canárias.

O Instituto Vulcanológico das Canárias (Involcan) divulgou em que o vulcão forma ondas de gravidade no entorno da coluna eruptiva. Isso ocorre quando a coluna convectiva (ar quente ascendente) do vulcão atinge uma camada estável da atmosfera e quebra o seu equilíbrio, fazendo-a oscilar, gerando essas curiosas ondas no céu.


A atmosfera, como um fluido, responde às perturbações nela geradas, como neste caso pelo impulso da pluma de cinzas e gases do vulcão. As erupções vulcânicas injetam gases, cinzas e aerossóis na atmosfera, perturbando a atmosfera e gerando as chamadas ondas de gravidade.

A lava do vulcão Cumbre Vieja chegou nas últimas horas ao oceano, despencando de uma altura de quase 100 metros de uma falésia perto das praias de Nueva e Los Guirres. Experts manifestavam a sua preocupação há vários dias com a chegada do magma ao oceano. Diante dessa situação, os especialistas aconselharam os moradores das cidades vizinhas a tomarem medidas preventivas e a permanecerem confinados em suas casas.

O contato da lava com o mar pode gerar explosões e gases nocivos à saúde, informou em sua conta no Twitter o comitê científico do Plano de Emergência Vulcânica das Ilhas Canárias (Pevolca). De acordo com a página do United States Geological Survey (USGS), o contato da lava com o mar pode gerar explosões, ondas de água fervente ou até nuvens tóxicas. “A inalação ou contato com gases e líquidos ácidos pode irritar a pele, os olhos e o sistema respiratório e causar dificuldades respiratórias”, alertou Involcan.

O que é onde de gravidade?

A palavra “gravidade” pode tornar causar alguma confusão, uma vez que o processo físico tem como causa principal outros fatores e todos os movimentos do ar são influenciados pela gravidade do planeta. O que melhor define mesmo é a palavra onda. O ar pode ter movimentos retos ou em ondas e estas podem ser horizontais ou verticais.

Uma onda de gravidade é do tipo vertical. Daí o exemplo de uma pedra sendo jogada em um lago. Ondulações ou círculos migram do ponto em que a rocha atinge a água. Um movimento para cima e para baixo é criado. Com o aumento da distância do ponto onde a rocha atinge a água, as ondas tornam-se menos definidas.


Ruas de nuvens formadas por ondas de gravidade em Minnesota (EUA) em 2014 | NOAA PHOTO LIBRARY

Para que surjam ondas de gravidade na atmosfera (o lago) é preciso um mecanismo de gatilho (a pedra) que as desencadeie, fazendo com que o ar seja deslocado na vertical. O ar deve ser forçado a subir numa camada atmosférica estável. Por quê? Se o movimento ascendente do ar se der numa camada atmosférica instável, ele continuará a subir e não criará um padrão de onda. Se, ao contrário, o ar for forçado a subir numa camada estável, a tendência natural será que o ar volte a descer. O gatilho (a pedra) forçará a parcela de ar a subir e a estabilidade da atmosfera forçará a mesma parcela depois a descer, gerando as ondas.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas


Em uma onda de gravidade, a região de movimento ascendente do ar é a mais favorável para a formação de nuvens e a região em que o ar desce proporciona céu limpo. É por isso que na presença de ondas de gravidade são observadas fileiras de nuvens e entre elas áreas de tempo aberto com céu azul. O fenômeno nada mais é, assim, do que uma onda se movendo através de uma camada estável da atmosfera.

Anúncios