Anúncios

CIRA/CSU

O que não choveu em muitos meses vai chover em poucos dias em áreas da Costa Oeste dos Estados Unidos. A região que enfrenta uma seca excepcional e histórica de muitos anos, que secou vários reservatórios de água da região, será atingida por dois ciclones bomba em sequência e um rio atmosférico extremo que vai despejar quantidades enormes de chuva.

O primeiro ciclone que alcançou a costa do estado norte-americano do Oregon tinha pressão mínima central de 950 hPa, menor que em muitos furacões intensos no Atlântico, e foi descrito como o mais intenso na região em outubro desde 1950. O segundo, que estava na área das Ilhas Aleutas, vai migrar agora para a Costa Oeste da América do Norte.

A Califórnia e grande parte da Costa Oeste dos Estados Unidos passam por uma seca extrema que fez disparara o número de incêndios florestais. As temporadas de fogo de 2021 e de 2021 na Califórnia são as piores da história, desde o início dos registros pela Cal Fire.

Dias atrás, a cidades de Califórnia de Sacramento, a capital do estado, teve a maior sequência de dias sem registro de chuva apreciável de sua história. Foram 212 dias seguidos sem qualquer registro de precipitação, o período mais longo desde o recorde anterior de 194 dias do ano de 1880.

Com chuva muito escassa, as áreas montanhosas de Sierra Nevada tiveram pouquíssima neve é justamente o degelo da neve que garante o abastecimento de água para milhões de californianos.

A excelente notícia é que a instabilidade associada ao rio atmosférico extremo e dois ciclones do tipo bomba meteorológica vão trazer quantidade enorme de neve para as montanhas de Sierra Nevada com acumulados de mais de dois metros em alguns pontos. Por outro, em áreas de baixa altitude do Centro e do Norte da Califórnia, além do estado do Oregon, os volumes de chuva até metade da semana que vem podem atingir marcas de 500 mm a 700 mm.

NOAA

Se tanta chuva vai ser um tremendo alívio para a seca e o abastecimento de água, será também uma fonte de problemas e perigos para a população local. Os acumulados excepcionais de chuva devem trazer deslizamentos de terra, queda de barreiras e enchentes. O vento também será forte a intenso com rajadas acima de 100 km/h em áreas costeiras.

A maioria das áreas do Centro e Norte da Califórnia precisa hoje ao menos de 150 mm a 300 mm de chuva, ou quantidade equivalente de neve, para que a seca extrema seja amenizada. Muitas localidades não apenas terão tais volumes como devem superá-los com folga. A chuva servirá ainda para apagar grandes incêndios florestais que ainda ardem na Califórnia.


O rio atmosférico (corrente de água precipitável e umidade em altitude) que atingirá a Califórnia a partir do Oceano Pacífico é considerado extremo. Em uma escala de 1 a 5 que é usado pela Meteorologia dos Estados Unidos para quantificar a força do rio, a região costeira e central da Califórnia e o Sudoeste do Oregon devem ter condições de nível 5 enquanto partes do estado de Washington e da costa do Oregon terão condições de nível 4.

O Sul da Califórnia, nas áreas de Los Angeles e San Diego, também está em necessidade urgente de chuva volumosa em razão da seca. A previsão é que chova em South Cal, entretanto os acumulados de precipitação devem ser muito inferiores aos previstos para o Centro e o Norte californiano.

Anúncios