Anúncios

Consequências do violento temporal da noite de terça ainda são visíveis por toda a cidade de Porto Alegre dois dias depois da tempestade severa | FERNANDO OLVEIRA

As áreas mais afetadas pelo temporal da terça-feira na Grande Porto Alegre ainda podem registrar momentos de instabilidade nesta segunda metade da semana e durante o fim de semana, antecipa a MetSul Meteorologia, mas o cenário não é de preocupação por fenômenos severos.

Com muitas pessoas sem luz e água, com prédios e casas destelhados, e grande número de profissionais trabalhando nas ruas para restabelecer serviços públicos essenciais, é positivo que não se esperem novas condições de tempo severo nos locais que foram mais castigados.


O pior cenário neste momento seria uma nova onda de tempestades, o que tornaria a situação para a população ainda mais complicada. Em 2012, no Meio-Oeste dos Estados Unidos, uma onda de tempestade (fenômeno chamado de derecho) deixou milhões de pessoas sem luz por dias até que veio uma segunda onda de tempo severo com estragos que prolongou a crise por semanas. Felizmente, não é o cenário que teremos.

O que vai acontecer nos próximos dias? Um centro de alta pressão sobre o Atlântico será o principal protagonista do tempo nos próximos dias para muitas áreas da Argentina, do Uruguai e do Rio Grande do Sul com ar frio mais ao Sul e aporte de umidade do mar para o continente.


Assim como hoje, as áreas mais afetadas pelo temporal devem ter ainda momentos com maior nebulosidade nesta sexta e no fim de semana, embora ocorram aberturas. As nuvens trazem chance de precipitação localizada e passageira, seja na forma de garoa ou chuva, mas não são antecipados volumes excessivos. Um ponto ou outro pode ter uma pancada mais forte isolada devido às nuvens cumuliformes.

Sob influência da alta pressão, da mesma forma não se espera forte calor nos próximos dias. Embora abafado o tempo, as nuvens impedem um maior aquecimento e as marcas ficam predominantemente abaixo dos 30ºC.

Com o posicionamento da alta pressão, na semana que vem se espera tempo muito aberto e o predomínio do sol com dias bonitos na área afetada pela tempestade severa. Serão vários dias com sol e escassa nebulosidade ao longo da semana que vem, o que vai ajudar com a reconstrução.

O que vai chamar atenção na semana que vem também será a temperatura. Associado ao centro de alta no Atlântico, ar mais frio deve atuar no Sul e no Leste do Rio Grande do Sul, assim que os dias não serão muito quentes e terão tardes agradáveis para os padrões de janeiro. As noites serão amenas.

Por outro lado, com o contraste térmico e de pressão do mar para o continente, vento do quadrante Leste será frequente com intensidade por vezes moderada e ocasionais rajadas, mas sem força para causar estragos. Vento Leste comum, como é frequente nos meses da primavera.

Anúncios