O ciclone extratriopical posicionado no Leste da Argentina trazia vento muito forte para Montevidéu e o Sul do Uruguai nesta segunda-feira. Até 17h, a rajada máxima de vento em Montevidéu na estação do Serviço Meteorológico da Força Aérea em Bella Vista foi de 44 nós (81,5 km/h), mas seguramente houve rajadas mais fortes em pontos da Rambla, a avenida costeira da capital. Na Argentina, o vento se situou de 70 a 80 km/h no Centro da cidade de Buenos Aires, com base no Aeroparque.


A MetSul alerta que o vento deve se intensificar no Uruguai na noite de hoje e nesta terça. As rajadas mais intensas ocorrem em departamentos do Sul e do Leste do país, e que devem ficar em média entre 80 e 100 km/h, mas em alguns pontos podem bater entre 100 a 120 km/h, ou mesmo até mais fortes em locais da costa. Cidades do Uruguai, assim, devem ter queda de árvores, postes, destelhamentos e falta de luz. O ciclone chegou a merecer destaque hoje na programação da rede de televisão norte-americana CNN que informava “tempestade de fim de inverno” e previa vento de até 120 km/h no Uruguai.



Apesar do centro do ciclone estar a mil quilômetros do Rio Grande do Sul, o campo de vento do sistema é por demais amplo e nos alcança. Já ventava forte na tarde desta segunda-feira em algumas regiões gaúchas, particularmente na Campanha e na fronteira com o Uruguai, e nesta terça o vento se intensifica no Estado. A área que será mais afetada é o Sul, sobretudo a costa Sul (região entre Mostardas e o Chuí), com velocidades de 90 a 105 km/h, o que deixará o mar agitado e possivelmente levará ao fechamento do porto de Rio Grande. O Leste igualmente terá rajadas fortes e que, no caso de Porto Alegre, podem ficar entre 60 a 80 km/h, ou até superiores. Portanto, há potencial para transtornos hoje no Sul e no Leste do Estado como queda de árvores e falta de energia. Apesar do sol e algumas nuvens no céu, a temperatura estará baixa no Estado durante esta terça e o vento intensifica a sensação de frio. Adverte-se que não é recomendado navegar na Lagoa dos Patos e na costa gaúcha com pequenas embarcações devido ao vento intenso que no meio da lagoa e em mar aberto deverá superar 100 km/h.