Anúncios

Um ciclone vai atuar ao longo desta semana junto à costa do Brasil. Ciclones são muito comuns e normais no Atlântico Sul, ocorrendo em qualquer época do ano, sobretudo nos meses de outono a primavera. Por outro lado, este ciclone vai ter uma trajetória incomum para os sistemas que atuam em nosso litoral.

O ciclone que se forma na costa do Uruguai vai avançar no sentido Norte e se acercará da Região Sudeste do Brasil no decorrer dos próximos dias, de acordo com as projeções dos modelos numéricos de previsão do tempo.

Por que a trajetória deste sistema é incomum?

Primeiramente, grande parte dos ciclones se forma da altura do Rio da Prata em direção ao Sul no Atlântico. Este surge dentro destas áreas tradicionais, junto ao Uruguai. O que não é comum é a sua trajetória em alto mar. Por quê? Ciclones tendem a se deslocar para Leste ou Sul quando se formam, afastando-se do continente. Este, ao contrário, vai tomar um rumo Norte. Surgido no Uruguai, o sistema avançará junto aos litorais do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e o Paraná e depois tomar um rumo para Leste antes de voltar para Sul. Com efeito, não é o que se costuma ver neste tipo de fenômeno.

Isso é perigoso?

Não necessariamente, afinal não é a trajetória de um ciclone por si só que vai determinar apenas o seu risco. Além disso, o sistema não é intenso e permanecerá o tempo todo em alto mar, de acordo com as projeções dos modelos. Se fosse um ciclone intenso, o cenário mudaria porque sua trajetória passaria a ser relevante, já que um sistema profundo perto da costa tem maior potencial de impacto.

O que este ciclone vai provocar?

Uma consequência deste ciclone muita gente vai gostar. Ele vai impulsionar ar mais frio para o Sul do Brasil e que alcançará parte do Centro-Oeste e do Sudeste do país nesta semana. A sua atuação ainda deve trazer instabilidade para áreas ao Leste do Sul do país. No Rio Grande do Sul, a circulação ciclônica trará chuva para a Metade Leste gaúcha entre a terça e a quarta-feira. A chuva em alguns pontos, segundo a previsão da MetSul, pode ser forte. A instabilidade afetará depois áreas mais próximas da costa no Paraná e em Santa Catarina.

Vai ter ventania?

Com a atuação da circulação ciclônica entre terça e quarta desta semana, espera-se uma intensificação do vento acompanhando a chuva no Sul e no Leste do Rio Grande do Sul. As rajadas em alguns pontos da costa ou próximos podem ficar entre 50 km/h e 70 km/h ao passo que em alguns pontos podem ser ocasionalmente superiores. O campo de vento afetará ainda o Sul e o Leste catarinense assim como a costa do Paraná.

Haverá efeito no mar?

Sim, o vento mais forte deste sistema ficará sobre alto mar e a pista de vento de ciclone que vai avançar perpendicular a costa tende a provocar agitação marítima. Por isso, ao longo desta semana deve se esperar que a altura das ondas aumente na costa do Sul do país com possibilidade, inclusive, de ressaca em algumas praias.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Anúncios