Anúncios

Ciclone extratropical intenso na foz do Rio da Prata traz muito vento na região e vai aumentar o frio no Rio Grande do Sul | Zoom Earth

Ciclone extratropical atuava na manhã desta segunda-feira (28) a Leste da província de Buenos Aires. Trata-se de um sistema de baixa pressão profundo, com pressão mínima central de 980 hPa, logo um ciclone intenso. Na imagem do modelo alemão Icon com a projeção para o começo do dia de hoje, observam-se que as linhas de pressão (isóbaras) estão muito próximas, o que indica um ciclone pequeno, concêntrico e intenso.


O sistema é responsável por trazer chuva e vento forte na costa atlântica da província de Buenos Aires e traz ainda muitas nuvens no Uruguai com chuva principalmente no Sul e no Leste uruguaio, onde vigem alertas da Meteorologia local de vento forte persistente. Em Buenos Aires, no Aeroporto Internacional de Ezeiza, a temperatura era de 7ºC no meio da manhã com vento de 50 km/h e o céu estava quase encoberto.

Em Montevidéu, no Aeroporto Internacional de Carrasco, no meio da manhã fazia 7ºC também, entretanto com chuva e neblina, além de rajadas de vento ao redor de 70 km/h. Em Laguna del Sauce, na região de Punta del Este, no departamento uruguaio de Maldonado, chovia forte com rajadas de vento próximas dos 80 km/h e frio de 8ºC, logo um dia com condições invernais extremamente desconfortáveis.

A imagem de satélite da manhã desta segunda-feira é magnífica com um visual que somente se observa no inverno. Uma frente fria muito bem definida entre o Mato Grosso do Sul e o Sul do Brasil com um ciclone intenso no Prata impulsionando ar gelado.

Zoom Earth

O ciclone extratropical se move agora para a foz do Rio da Prata, o que significa que as condições do tempo devem se deteriorar ainda mais no Sul e no Leste do Uruguai com chuva, vento forte a intenso (80 km/h a 100 km/h na costa com rajadas isoladamente até superiores) entre a tarde e a noite desta segunda-feira. Amanhã, como se vê no mapa abaixo com a projeção do modelo alemão Icon, a tendência é de o ciclone estar a Leste e a Sudeste do Chuí com 988 hPa.

A circulação de umidade ciclônica interagindo com o ar gelado não permite se descartar a ocorrência de precipitação invernal nesta segunda-feira no Uruguai, especialmente na forma de graupel (neve granulada) ou chuva congelada, mas mesmo flocos de neve com chuva (aguanieve) são possíveis no país vizinho.

Nuvens começam a avançar já hoje pelo Rio Grande do Sul com a circulação ciclônica e no Sul gaúcho, em especial, existe a possibilidade de precipitação isolada, e que eventualmente pode dar origem a algum fenômeno invernal nas áreas do Chuí e de Santa Vitória do Palmar.

À medida que o ciclone estiver a Sudeste do Chuí, muitas nuvens vão atuar nesta terça no Rio Grande do Sul, sobretudo no Sul e na Metade Leste do Estado com chance de precipitação isolada principalmente no Sul. Como a circulação ciclônica vai coincidir com a parte mais intensa do ar polar amanhã, fenômenos invernais são possíveis amanhã com a presença de nuvens de maior desenvolvimento vertical da circulação do ciclone.

O vento que sopra fraco a moderado hoje em Porto Alegre é consequência da advecção fria do ciclone, mas o vento mais forte nesta segunda-feira sopra no Sul gaúcho. Por sua vez, amanhã o vento aumenta no Sul e no Leste gaúcho com rajadas em alguns momentos que podem ficar entre 60 km/h e 80 km/h.

Por isso, cidades como Pelotas, Rio Grande, Camaquã, o litoral e a região de Porto Alegre devem ter uma terça-feira ventosa com ingresso de nuvens e sensação térmica por demais baixa devido à força do vento e ao pico de intensidade da massa de ar frio. Será uma terça-feira por demais fria e desconfortável para quem estiver na rua.


modelos sugerindo que o avanço das nuvens da circulação ciclônica para Norte poderia trazer leve precipitação de neve ou chuva congelada entre a tarde-noite de amanhã e o início da quarta em áreas de maior altitude do Nordeste gaúcho.

A atuação do ciclone deve deixar o mar muito agitado na costa do Sul do Brasil com ondas muito altas, especialmente em alto mar, e risco elevado de ressaca na orla. Vento forte e mar grosso podem afetar as operações do Porto de Rio Grande que podem ser total ou parcialmente suspensas antes de as condições começarem a melhorar entre a quarta e a quinta.

Anúncios