A Coreia do Sul enfrenta um desastre pela chuva. O número de pessoas que morreram ou estão desaparecidas devido às fortes chuvas que atingiram o país subiu para 49, de acordo com as autoridades de Seul. A Sede Central de Contramedidas de Desastres e Segurança informou que 40 pessoas morreram, nove estão desaparecidas e 34 ficaram feridas devido às fortes chuvas de monção que atingem o país desde 9 de julho.

Equipes de resgate sul-coreanas procuram pessoas desaparecidas ao longo de uma estrada inundada que leva a um túnel subterrâneo onde cerca de 15 carros ficaram presos na enchente após fortes chuvas em Cheongju. | AFP/METSUL METEOROLOGIA

O número de mortos em uma passagem subterrânea inundada na cidade de Cheongju, província de Chungcheong do Norte, permanece em 13, depois que quatro pessoas desaparecidas foram encontradas mortas durante a noite.

Dezenove mortes ocorreram na província de Gyeongsang do Norte, enquanto as províncias de Chungcheong do Norte e Chungcheong do Sul registraram 16 e quatro mortes, respectivamente. Sejong também relatou uma morte.

Em 15 cidades e províncias, mais de dez mil pessoas de cerca de 6.200 famílias foram evacuadas para abrigos temporários. Cerca de 190 casas, seis embarcações de pesca e cerca de 60 veículos sofreram danos causados pelas enchentes, enquanto 789 instalações públicas, incluindo estradas e pontes, foram arrastadas ou destruídas.

Cerca de 27 mil hectares de terras agrícolas foram devastados pelas fortes chuvas e cerca de 579 mil cabeças de gado, incluindo vacas, galinhas e porcos, morreram devido às chuvas.

O Escritório de Coordenação de Políticas Governamentais lançou uma inspeção para esclarecer o que causou a inundação mortal de uma passagem subterrânea na cidade de Cheongju, no norte de Chungcheong.

O escritório disse na segunda-feira que investigará quais medidas de segurança foram tomadas pelos governos locais, polícia e bombeiros para determinar por que o controle de tráfego não foi conduzido em tempo hábil na passagem subterrânea.

Resgatista bsuca pessoas desaparecidas depois que um deslizamento de terra atingiu uma pequena vila após fortes chuvas em Yecheon. | AFP/METSUL METEOROLOGIA

Até agora, o escritório confirmou que as autoridades receberam chamadas de emergência solicitando a evacuação dos cidadãos em Osong-eup, em Cheongju, e limitando o acesso à passagem subterrânea cerca de duas horas antes de os veículos ficarem presos na passagem subterrânea inundada.

O escritório disse que começou a revisar todas as chamadas de emergência recebidas pelos governos locais, polícia e bombeiros que governam a província de Chungcheong do Norte, a cidade de Cheongju e o distrito de Heungdeok.

O escritório disse que também investigará vários registros administrativos relacionados à construção de um aterro ao longo do rio Miho em meio a alegações de gestão negligente do aterro por autoridades locais como uma das principais causas de inundações.

O escritório disse que todas as agências relacionadas estarão sujeitas à inspeção mais recente, acrescentando que tomará todas as medidas necessárias, dependendo do que a inspeção descobrir, incluindo medidas disciplinares, apresentação de reclamações e solicitação de investigações.