Câmera registrou mulher sendo arrastada pela correnteza durante temporal na terça em Aparecida (SP). Ela conseguiu ser resgatada, mas veio depois a falecer. Seu neto foi salvo com vida. | REPRODUÇÃO

Episódios de chuva extrema deixaram ao menos sete mortos no Sudeste do Brasil entre a terça e a quarta-feira. Volumes isoladamente excessivos acompanhando temporais foram responsáveis por inundações repentinas com enxurradas, e causaram ainda deslizamentos de terra. O Rio de Janeiro concentra quase todas as vítimas dos temporais.

No estado do Rio de Janeiro, pelo menos seis pessoas morreram em consequência da chuva. Foram duas vítimas em Japeri, outras duas em Nova Iguaçu, na região da Baixada Fluminense, e maios duas no município de Barra do Piraí, no Sul Fluminense.

Na terça-feira à tarde, um temporal com chuva extrema atingiu o município paulista de Aparecida. Uma mulher, que estava com um menino de 11 anos, morreu após ser arrastada pela água. Ambos foram levados pela enxurrada formada nas ruas no temporal, mas apenas a criança sobreviveu.

Os volumes de chuva foram excessivamente altos em curto período. Na cidade de Nova Iguaçu, estação do Centro Nacional de Monitoramento de Desastres registrou 163 mm. No momento da chuva mais intensa, em apenas dez minutos caíram 22,8 mm. Em Barra do Piraí, a precipitação somou 125 mm. Em Japeri, por sua vez, o acumulado alcançou 152 mm.

O que provocou os episódios localizados de chuva extrema na Região Sudeste? Um sistema em níveis mais altos da atmosfera. No começo da semana, um vórtice ciclônico em médios e altos níveis da atmosfera se deslocou da Argentina e do Uruguai para o Rio Grande do Sul.

Foi a causa da chuva forte com alagamentos na cidade gaúcha de Putinga e do tornado em área rural de Júlio de Castilhos. O sistema ainda provocou nuvens funis no Sul do país e um tornado sem danos no interior do Paraná.

Na sequência, ao se deslocar para o Norte a baixa pressão situada nos médios e altos níveis induziu forte instabilidade e uma área recurva de menor pressão (cavado) acentuada que favoreceu a chuva muito intensa em cidades do estado do Rio de Janeiro.

METSUL

As pancadas de chuva típicas desta época do ano, isoladamente fortes, seguem nos próximos dias no Sudeste do Brasil, mas o risco de precipitações localmente extremas será menor na comparação com os últimos dias. O sol aparece com nuvens, mas o aquecimento induz chuva isolada. A atmosfera vai ficar mais quente no começo da semana que vem, aumentando o risco de temporais.

A cidade de São Paulo, por exemplo, deve te chuva de verão frequente nos próximos dias, quase sempre da tarde para a noite, e alguns episódios podem trazer pancadas intensas com alagamentos. No Rio de Janeiro, as pancadas de verão também ocorrem, porém são menos frequentes e mais isoladas. Em Belo Horizonte, o tempo vai estar muito instável até esta sexta com risco de chuva forte, mas a instabilidade diminui e o sol aparece no fim de semana.

A MetSul Meteorologia está nos canais do WhatsApp. Inscreva-se aqui para ter acesso ao canal no aplicativo de mensagens e receber as previsões, alertas e informações sobre o que de mais importante ocorre no tempo e clima do Brasil e no mundo, com dados e informações exclusivos do nosso time de meteorologistas.