Destroços carregados pela inundação repentina em bairro da cidade de Murakami, província de Niigata, após fortes chuvas atingirem áreas do norte do Japão. Pontes desmoronaram e rios transbordaram com 200 mil moradores orientados a deixar suas casas enquanto as autoridades alertavam sobre inundações perigosas | STR/JIJI PRESS/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Mais de 200 mil pessoas receberam ordem de evacuação no Japão devido às chuvas torrenciais que atingem o país. As intensas precipitações castigam áreas do Centro e do Nordeste japonês com pessoas desaparecidas, transbordamento de rios e cortes nos serviços de águas e energia elétrica.

As autoridades japonesas recomendaram nesta quinta-feira a evacuação de cidades do Norte do país, com quase 200 mil habitantes, com o aumento do nível dos rios que deixaram duas pessoas desaparecidas e várias pontes destruídas. O canal público NHK informou que foram emitidos avisos em cinco condados: Niigata, Yamagata, Fukushima, Ishikawa e Fukui.

As autoridades alertaram para o risco de deslizamentos de terra e inundações. O porta-voz do governo, Hirokazu Matsuno, confirmou os desaparecimentos. Os canais de televisão exibiram imagens de torrentes de lama em uma zona residencial montanhosa, casas inundadas por um rio e uma ponte completamente destruída. Algumas viagens de trens de alta velocidade foram suspensas nas áreas afetadas.


A agência meteorológica japonesa (JMA) emitiu o alerta mais grave de chuva para a província de Yamagata, no Nordeste do país, onde o rio Mogami transbordou em vários locais, provocando deslizamentos de terra, inundando casas e interrompendo o abastecimento de água. A cidade de Oguni, em Yamagata, foi isolada devido a deslizamentos de terra e inundações, disseram autoridades locais.

Imagens de televisão e fotos aéreas mostraram vários bairros residenciais e carros submersos em água lamacenta em Yamagata e na prefeitura de Niigata, no centro do Japão, para os quais o nível mais alto de alerta também foi emitido.


A chuva forte afeta os serviços ferroviários desde a noite de quarta-feira. As pontes ferroviárias na Linha Banetsu West em Fukushima e na Linha Yonesaka em Yamagata entraram em colapso e os serviços de trem-bala shinkansen foram suspensos entre Fukushima e Shinjo em Yamagata, de acordo com a operadora East Japan Railway Co.

Na manhã de hoje, cerca de 107.000 pessoas foram instadas a deixar suas casas em Yamagata e cinco outras províncias, de acordo com a Agência de Gerenciamento de Incêndios e Desastres. A vila de Sekikawa em Niigata registrou 560 mm de chuva em 24 horas até a manhã de quinta-feira, 2,5 vezes a quantidade de chuva que normalmente cai em todo o mês de agosto, segundo a Agência Meteorológica do Japão.

Precipitação de 410 mm foi registrada no mesmo período em Murakami, Niigata, com 306,5 mm em Iide, Yamagata, disse a agência. No período de 24 horas até o meio-dia desta sexta-feira, estão previstos até 250 mm de chuva para a região de Hokuriku ao longo do Mar do Japão e até 150 mm na região de Tokai, no Centro do Japão.