Anúncios

Chuva mais volumosa e ampla é esperada para a sexta-feira e o começo do sábado no Sul do Brasil, mas nem todas as regiões terão volumes suficientemente altos diante das necessidades hídricas provocadas pela estiagem | Anselmo Cunha/PMPA

Chuva e risco de temporais isolados vão marcar esta reta final agora da semana no Sul do Brasil. Complexo cenário meteorológico envolvendo frente quente, centros de baixa pressão e uma frente fria trará a precipitação tão esperada por muita gente. 

A instabilidade afeta mais o Rio Grande do Sul nesta quinta e alcança os três estados do Sul durante a sexta. Com efeito, uma frente quente nesta quinta traz aumento de nuvens e instabilidade em parte do Estado. 


Frente quente traz chuva nesta quinta 

Áreas de instabilidade provocam chuva já no começo desta quinta no Oeste gaúcho. As nuvens de chuva avançam até o Centro do Estado e depois para o Nordeste gaúcho, alcançando os vales, a Grande Porto Alegre e o Litoral Norte, talvez alcançando até o Extremo Sul catarinense. 

No Noroeste e no Norte do Estado, sob ar quente, o sol aparece com tempo quente a abafado, mas não se afasta precipitação  esparsa. Já no Sul gaúcho, sob ar frio, o tempo seco predomina com temperatura amena. 

Porto Alegre e parte da região metropolitana estarão hoje na área limite entre ter e não chuva, tornando difícil a previsão para esta parte do Estado quanto à chuva. Não se descarta instabilidade na Capital já nesta quinta, entretanto o “grosso” da chuva vem na sexta, especialmente na segunda metade do dia e ainda talvez na madrugada do sábado.

Chuva mais ampla na sexta 

Na sexta, centro de baixa pressão causa aumento da instabilidade em todo o Rio Grande do Sul e chuva em todas as regiões. Há risco de chuva localmente moderada a forte com trovoadas, não se descartando temporais isolados de vento e, sobretudo, de granizo. 

Uma frente fria vai começar a se organizar e avança para Santa Catarina e o Paraná com chuva e um risco de temporais maior. Os acumulados de chuva da quinta e, principalmente, da sexta vão ser altos em algumas regiões gaúchas. 

O que esperar de volumes? 

Os maiores volumes são esperados no Oeste e na faixa central do Rio Grande do Sul com marcas acima de 50 mm em diversos municípios.

Veja na página de mapas as projeções de chuva de diferentes modelos numéricos com diversas atualizações diárias [exclusivo do assinante] 

Alguns pontos podem ter marcas perto da média do mês inteiro de precipitações com acumulados até perto ou acima de 100 mm, caso do Oeste gaúcho. É o que se vê abaixo na projeção do modelo WRF da MetSul ate 9h de sábado.

Projeção de chuva até 9h de sábado do modelo WRF da MetSul Meteorologia | MetSul.com

Porto Alegre e região metropolitana têm risco de chuva moderada a forte na sexta, mais na segunda metade do dia e no início do sábado, quando os volumes devem ser mais altos.


No fim de semana, um ciclone extratropical se forma a circulação de umidade do sistema pode trazer sol, nuvens e precipitações isoladas no Rio Grande do Sul no sábado.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

O tempo, contudo, gradualmente começa a secar ao longo do fim de semana, uma vez que o ciclone extratropical no Atlântico vai impulsionar ar mais seco para o Sul do Brasil.

Anúncios