Anúncios

Uma tempestade violenta de chuva, raios e granizo atingiu uma das cidades mais áridas do Egito, o que levou a uma invasão de cobras e escorpiões venenosos nas ruas e em casas com centenas de pessoas atacadas e ao menos três mortes.

Mais de 500 pessoas sofreram picadas de escorpião venenoso na cidade egípcia de Aswan, de acordo com um comunicado emitido pelo governo local em meio a uma onda de tempestades e inundações que afetou várias províncias, o que levou as espécies peçonhentas a deixarem seus habitats naturais.


O jornal estatal do Egito Al-Ahram noticiou que três pessoas morreram em consequência das picadas dos escorpiões venenosos após as tempestades, citando declarações do Ministério da Saúde. A informação foi confirmada também pela rede britânica BBC e pelo canal de notícia em árabe da Al Jazeera.

Tempestades de poeira e chuvas torrenciais derrubaram árvores e várias casas desabaram em partes de Aswan. Os sinais de televisão e internet foram interrompidos e houve falta de luz. O governo local decidiu suspender as aulas nas escolas da região neste começo de semana por efeito dos temporais.

As “mudanças climáticas” estão por trás da onda de tempo severo nas províncias do Sul do Egito, de acordo com o diretor do Centro de Análise e Previsões do Tempo da Autoridade Meteorológica Egípcia, Mahmoud Shaheen. Segundo o meteorologista do Egito, as mudanças causaram “alguns fenômenos extremos e violentos” e destacou que o granizo que caiu em Aswan é um fenômeno muito raro para a região que é caracteristicamente quente e seca durante todo o ano.

A tempestade sem precedentes, nas palavras do governo local, deixou um saldo de graves danos e perdas humanas que ainda estão sendo contabilizados, afirmou Ahmed Salah, parlamentar local em entrevista à imprensa.

Muitos moradores de Aswan disseram ao jornal Mada Masr que escorpiões e cobras, expulsos de seus habitats naturais pelas tempestades, picaram pessoas em diversos vilarejos da província. Eles temem agora novas infestações e que os casos de picadas aumentem à medida que a água da chuva acumulada continua a descer das montanhas.

A população reclama mais soro para cobras e escorpiões seja fornecido aos hospitais. Ibrahim Othman, que acompanhou um parente que foi picado por um escorpião ao Hospital Universitário de Aswan, disse ter visto cerca de 80 pessoas com ferimentos semelhantes chegarem à emergência em menos de uma hora enquanto seu parente recebia tratamento.

Mais de 3.000 doses do soro para escorpião foram distribuídas a hospitais e unidades de saúde em Aswan, afirmou o porta-voz do Ministério da Saúde, Khaled Megahed.

Othman disse que ferimentos causados ​​por escorpiões e cobras se dão depois de chuvas fortes ou tempestades de areia, a maioria nas proximidades das montanhas, já que o tempo extremo força os escorpiões e as cobras a irem para áreas residenciais próximas.


Dois residentes de Aswan concordaram, acrescentando que previram a ameaça de ferimentos, uma vez que a água da chuva que cai nas montanhas escoa e chega aos vilarejos de três regiões de Aswan que ficam ao longo das margens do Nilo.

O diretor do escritório de mídia da governadoria de Aswan, Mohamed Hassan, informou que o governo bombeou e drenou a água acumulada nas ruas e consertou os postes de iluminação e cabos de antena. Houve ainda a remoção de carros que foram esmagados por quedas de árvores e a reabertura de estações de tratamento para o fornecimento de água potável.

Anúncios