Anúncios

 

Onda de calor atinge seu ápice hoje com previsão de marcas históricas de temperatura no Rio Grande do Sul. O calor extremo associado a queda na pressão atmosférica poderá deflagrar temporais intensos, sobretudo, na Metade Sul e Oeste do Estado. Nas demais regiões, há risco de chuva e temporais, porém de forma mais isolada e passageira. Portanto, diante deste cenário a Metade Norte tem mais chance de tempo seco no momento da virada. Quando mais ao Sul  maior risco de instabilidade. Mapa do modelo GFS projeta marcas acima de 40°C entre o Vale do Rio Pardo, Vale do Taquari e a Grande Porto Alegre:

 

 

Ontem o Rio Grande do Sul registrou o quinto dia consecutivo com marcas de temperatura ao redor de 40°C.  Em Santa Cruz do Sul e Santa Rosa fez 40,4°C.  Modelos atmosféricos indicam que hoje a massa de ar quente atinge seu ápice e poderá elevar as máximas acima de 40°C em várias regiões. Há previsão inclusive que a Capital possa atingir tal marca. E isso não é rotina. A temperatura só superou os 40°C em Porto Alegre em cinco oportunidades desde o início das medições oficiais do INMET em 1909. Os maiores registros foram 40,7°C em janeiro de 1943 e 40,6°C em 06 de fevereiro de 2014. A temperatura na Capital só atingiu uma única vez marca acima de 40°C desde a década de 70 quando a medição pelo Instituto passou a ser feita no Jardim Botânico.  Em Campo Bom, no Vale do Sinos, o maior registro do mês de dezembro foi de 40,9°C no dia 27 do ano de 2013. O recorde histórico oficial de calor no Rio Grande do Sul se deu em 1917 quando Alegrete teve máxima de 42,6°C, seguido de 1943 quando Jaguarão teve a mesma marca de temperatura, ambas no mês de janeiro.

Anúncios