Anúncios

Os gaúchos despertaram na manhã de hoje com os temporais como principal assunto de capa nos jornais e ouvindo pelo rádio que o cenário que já era ruim ontem ficou ainda pior na madrugada de hoje. A onda de tempestades reiteradamente alertada pela MetSul Meteorologia desde o começo da semana como “preocupante” e “grave” já deixa dois mortos no Estado e prejuízos em um grande número de comunidades. Temporais durante a madrugada de hoje apenas agravaram os estragos.



Temporais na tarde de ontem trouxeram estragos em Passo Fundo e outros pontos do Norte do Estado. O vento registrado nas estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia alcançou 98,2 km/h em Lagoa Vermelha, 97,5 km/h em Soledade e 94,7 km/h em Passo Fundo. Em Passo Fundo, houve estragos e falta de luz em vários pontos da cidade. Uma escola municipal foi completamente destelhada. Com a força do vento, o telhado foi arrancado e arremessado para fora do pátio, atingindo casas vizinhas e a rede elétrica (foto abaixo da Rádio Uirapuru/CP). O Corpo de Bombeiros recebeu pelo menos 100 pedidos de lonas de pessoas que tiveram as casas parcialmente destelhadas. Em Sertão, idosa de 74 anos morreu ao ser atingida por um portão durante vendaval. Já em Canguçu, menina de 12 anos morreu atingida por um raio na tarde da quinta na localidade de Rincão dos Maias, zona rural. Ela recolhia roupas do varal de casa quando foi atingida pela descarga elétrica.


Os temporais seguiram na madrugada de hoje no Rio Grande do Sul. Muitos raios cortaram o céu da Capital durante quase toda a noite (fotos abaixo de @deeh, Rafael Marafon e Michel Dreger). Voltou a cair granizo em vários bairros de Porto Alegre, entretanto miúdo e sem os problemas da véspera, quando centenas de casas foram destelhadas nas ilhas. Caiu granizo ainda em Guaíba, Eldorado, Canoas, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Sapiranga, Viamão e outras cidades da região.


O pior ocorreu no interior. O granizo, pela segunda madrugada seguida, trouxe mais danos. Por volta das 2h da manhã, o granizo danificou pelo menos 500 residências em Rosário do Sul, no Oeste. As pedras de gelo tiveram grande tamanho (fotos abaixo de Dieison Cruz e Jonathan Ribeiro de Menezes).  Em Camaquã, no Sul, a queda de granizo atingiu com maior intensidade os bairros Banhado do Colégio Núcleo II, Granja Emília e Capão do Café. O Corpo de Bombeiros já distribuiu cerca de 600 metros de lonas para cobrir as residências danificadas. Em Quintão e outras praias, no Litoral Norte, também houve queda de granizo na madrugada, mas sem relatos de danos. Em Soledade, o vento atingiu 96,5 km/h no final da madrugada.


Porto Alegre começou a manhã de sexta-feira com muitos transtornos e problemas graves no trânsito devido aos alagamentos (foto abaixo de André Ávila do Correio do Povo). Foi um pesadelo pros motoristas. A chuva foi forte a torrencial na madrugada e seguia moderada no começo da manhã. O acumulado no Centro na soma de ontem e hoje até 9h30m foi de 111 mm, virtualmente a média histórica (1961-1990) de outubro inteiro de 114,3 mm. A avenida Sertório foi a mais atingida, com trânsito quase parado. Motoristas tentaram escapar pela Avenida Assis Brasil, que igualmente tinha problemas pela chuva.


A MetSul Meteorologia reitera a explicação que os temporais de ontem, hoje e também os previstos para amanhã são resultado de um fluxo de ar quente de Norte incomum e atipicamente intenso que reveste-se de caráter histórico. O ar quente opera como “gasolina em fogo” à medida que estimula a formação de poderosas áreas de instabilidade sobre o Rio Grande do Sul. Atente para o mapa (Earth) abaixo com o vento em 850 hPa (1500 metros) de altitude como as linhas de corrente definem claramente um fluxo intenso de ar quente do Norte argentino para o Estado. É uma corrente de jato de baixos níveis que traz o ar muito aquecido para o Sul e que, na prática, em analogia para fácil compreensão, é como a “mangueira” que alimenta o “fogo” (instabilidade) com “gasolina” (ar aquecido numa atmosfera úmida e instável) sobre o território gaúcho.


A temperatura na tarde de ontem foi a 40,6ºC em Santa Rosa e a 38,2ºC em Iraí, mais altas desde o verão no Estado. No Norte da Argentina, o calor atingiu níveis sem precedentes em qualquer época do ano com recordes absolutos de máximas em um século de dados. As máximas chegaram a 46,1ºC em Roque Sáenz Peña (recorde anterior de 45,0ºC em 6 de fevereiro de 1937), 44,4ºC em Resistencia (recorde anterior de 43,5ºC em 2 de novembro de 2009) e a 42,4ºC em Jujuy (recorde anterior de 42,0ºC em 11 de dezembro de 2012). Os dados são do Serviço Meteorológico Nacional da Argentina. O mapa mostra a projeção de temperatura em 850 hPa (nível de 1500 metros) para hoje e se observa a excepcionalidade da massa de ar quente que cobre uma grande parte do Brasil com marcas de 41ºC a 43ºC e ainda o Paraguai e a região Norte da Argentina.


Atenção – A MetSul alerta que o risco de chuva localmente forte a torrencial segue entre a tarde e a noite desta sexta-feira no Rio Grande do Sul. O risco de temporais de granizo e vendavais será maior na Metade Norte que estará sob influência de ar mais quente. No fim de semana, a chuva forte e os temporais vão seguir castigando o Estado com prováveis novos danos e transtornos em diversas comunidades. Neste sábado, chove em diversas regiões, especialmente do Centro, Sul e Leste do Estado no começo do dia. Há vários modelos indicando que ao longo do sábado poderia ocorrer abertura do tempo com forte aquecimento em diversos pontos do Estado, o que poderia levar a novos temporais isolados da tarde para a noite e que em alguns pontos poderiam ser fortes por conta das altas temperaturas. No domingo, frente fria se organiza sobre o Rio Grande do Sul e traz chuva para a maioria das regiões e que pode ser volumosa em diversos pontos. Na troca de massas de ar, de muito quente para fria, podem ocorrer temporais de vento e granizo. A MetSul alerta ainda que neste fim de semana, sobretudo no domingo, o risco é alto de tempestades severas localizadas em Santa Catarina e no Paraná. Com os dois estados sob ar muito quente, alguns temporais podem ser violentos e com potencial destrutivo. Já no Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, o calor aumentará neste fim de semana e pode atingir níveis perigosos (43ºC a 45ºC), esperando-se temperatura ao redor de 40ºC na cidade de São Paulo com possibilidade de recordes. No começo da semana que vem, tempestades vão atingir o Centro-Oeste e o Sudeste, incluindo São Paulo, com risco de alguns destes temporais serem muito intensos a destrutivos em pontos localizados. No Rio de Janeiro, o tempo vai virar entre a segunda e terça com chuva e risco alto de forte vendaval.

Anúncios