Anúncios

MARIO TAMA/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

O fim está à vista para a sequência doe rios atmosféricos que atingiram a Califórnia nas últimas semanas. Segundo os meteorologistas, o tempo seco estava previsto para chegar no final desta semana, encerrando um dos períodos mais chuvosos no estado da costa Oeste dos Estados Unidos em 160 anos.

De 26 de dezembro de 2022 a 16 de janeiro de 2023, foi o período de 22 dias mais chuvoso na área de São Francisco desde 1862, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia. Praticamente todo o estado recebeu totais de chuva de mais de 350% acima da média na primeira quinzena de janeiro de 2023.


A chuva e a neve dos rios atmosféricos recentes contribuíram para uma grande quantidade de neve nas montanhas de Sierra Nevada e níveis mais altos de água em muitos dos reservatórios de água do estado.

No entanto, nem toda a água que caiu ficou presa. Quando os solos ficam saturados, a água não consegue se infiltrar abaixo da superfície e escorreu para os cursos de água próximos, às vezes levando o solo com ela.


Parte da precipitação, no entanto, permaneceu – especialmente nas montanhas, onde caiu como neve. Nas imagens no topo, observe a diferença na cobertura de neve entre 17 de janeiro de 2023 (à direita) e 23 de janeiro de 2022 (à esquerda).

NASA

A neve acumulada nas montanhas em todo o estado em 18 de janeiro estava em 248% da média do dia e em 124% da média histórica de 1º de abril (o pico sazonal típico de cobertura de neve). O acúmulo de neve foi especialmente maior do que o normal nas serras do Sul, onde foi de 292% do normal em 18 de janeiro.

Mais benéfico do que a chuva é o armazenamento de água a longo prazo na camada de neve de Sierra Nevada. Alguns lugares nas elevações mais altas viram até 20 pés (6 metros) de neve nas últimas quatro semanas, o que acabou por proporcionar imagens espetaculares na região montanhosa.

MARIO TAMA/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

MARIO TAMA/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

MARIO TAMA/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

MARIO TAMA/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

A neve de Sierra Nevada às vezes é ainda mais valiosa para a Califórnia do que a chuva líquida, uma vez que permanece em altitudes mais altas e derrete mais gradualmente, acompanhando a liberação das águas. Isso permitirá que mais água seja captada pelos aquíferos da Califórnia, abastecendo operações agrícolas e hidrelétricas.

Semanas de tempestades na Califórnia com muita chuva e neve estão fazendo a água jorrar de uma forma que raramente, ou nunca, é vista saindo das famosas paredes de pedra do parque nacional de Yosemite, criando novas cachoeiras no vale de Yosemite. Yosemite tem “incontáveis cachoeiras” e geralmente tira o melhor proveito de suas muitas quedas em maio ou junho, durante o pico de neve. Esse não é o caso agora.

As tempestades sobrecarregaram cachoeiras de renome mundial, como Yosemite Falls, Vernal Fall e Bridalveil Fall, criaram novas cachoeiras no vale e deram vida a cachoeiras ultrarraras que dificilmente aparecem em Yosemite.

Estima-se que cerca de 10 novas cachoeiras sazonais, oficialmente chamadas de “cachoeiras efêmeras”, tenham surgido no vale de Yosemite desde o início das grandes chuvas. As novas cachoeiras e quedas d´águ8a parecem ir e vir como as tempestades. Enquanto alguns permanecem por alguns dias, outros aterrissaram ficam por mais tempo para a alegria dos fotógrafos.

Anúncios