Anúncios

Criança é levada a bordo de um helicóptero MRH-90 Taipan com um tripulante do Exército Australiano da Escola de Aviação do Exército perto da cidade de Lismore, no Norte de Nova Gales do Sul, após um resgate bem-sucedido durante a Operação Flood Assist 2022 em meio a inundações catastróficas no Leste da Austrália | BRADLEY RICHARDSON/AUSTRALIAN DEFENCE FORCE/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Os serviços de emergência australianos ordenaram a retirada de 200.000 pessoas devido ao avanço de uma forte tempestade que causou inundações devastadoras e deixou 13 mortos na última semana. A cidade de Sydney foi poupada do temido dilúvio.

As autoridades emitiram alertas de tempo severo para chuva e vento em um trecho de 400 quilômetros da costa que inclui áreas do subúrbio de Sydney, a maior cidade da Austrália, onde vivem cinco milhões de pessoas. A tempestade mudou sua direção para o Sul do estado de Queensland até Nova Gales do Sul.


O sistema meteorológico deixou um rastro de destruição pelo aumento no volume de rios e reservatórios que provocaram graves enchentes com municípios com todas as casas cobertas de água até o teto. Um sistema de baixa pressão permaneceu perto da costa, centenas de quilômetros ao Norte de Sydney, despejando fortes chuvas na área.

A cidade conseguiu, no entanto, escapar da temida chuva, afirmou o meteorologista Ben Domensino, da Weatherzone. “Sydney foi poupada das chuvas mais fortes de hoje”, disse Domensino à AFP, prevendo que o sistema deve perder força até sexta-feira.


QUEENSLAND POLICE SERVICE /AFP/METSUL METEOROLOGIA

PATRICK HAMILTON/AFP/METSUL METEOROLOGIA

PATRICK HAMILTON/AFP/METSUL METEOROLOGIA

A barragem de Warragamba, no Sudoeste de Sydney, que fornece 80% da água da cidade, começou a vazar na manhã de quarta-feira. Ainda há grandes inundações em algumas áreas a Oeste de Sydney, ao longo dos rios Hawkesbury e Nepean, e que atravessam os subúrbios da cidade, disse uma porta-voz do serviço de Meteorologia de Nova Gales do Sul.

“Esse é um sistema muito grande e vai levar um tempo para diminuir”, acrescentou. Na localidade histórica de Windsor, onde estão alguns dos mais antigos prédios europeus da Austrália, Paul Caleo se uniu a outros moradores para observar o aumento do volume do rio Hawkesbury, que bloqueou o acesso pela ponte a casas e granjas.

Na histórica marina de Sydney, o Zoológico Taronga se preparou para tratar animais silvestres feridos pelas chuvas torrenciais e inundações. E, quando o nível da água baixar, a preocupação se voltará para os animais que vivem nos cursos d’água, como o ornitorrinco. Os serviços de emergência de Nova Gales do Sul disseram que ainda há mais de 70 ordens de retirada da população em vigor.

Anúncios