Todas as tardes do mês de março até agora foram marcadas por tempo muito quente na cidade do Rio de Janeiro | TANIA REGO/AGÊNCIA BRASIL/EBC

O calor que vem castigando o Rio de Janeiro e outras áreas do Sudeste do Brasil vai prosseguir no curto prazo, avalia a MetSul Meteorologia. Março começou mais quente do que já costuma ser na capital fluminense e a tendência é que os dias sigam com as elevadas temperaturas.

Uma massa de ar quente está instalada sobre o Sudeste do Brasil com marcas nos termômetros acima da média histórica em grande parte da região. Quase toda a Região Sudeste encerrará a primeira semana de março com temperatura acima das médias da climatologia histórica mensal.

A massa de ar quente traz temperaturas superiores às normais históricas principalmente em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. Algumas áreas chegam a estar com temperatura até 3ºC a 4ºC acima do normal de março nos primeiros dias do mês.


De acordo com dados do Alerta Rio, o serviço meteorológico da Prefeitura do Rio de Janeiro, as máximas na cidade atingiram 38,1ºC no dia 1º; 39,7ºC no dia 2; 41,4ºC no dia 3; 41,3ºC no sábado; 40,2ºC no domingo; e 35,5ºC ontem, todas apuradas na estação de Irajá.

Na cidade de São Paulo, o calor não é tão intenso como na cidade do Rio de Janeiro. Os primeiros cinco dias do mês tiveram três dias com máximas acima da 30ºC na estação oficial do Mirante de Santana. A temperatura média máxima dos primeiros cinco de março na capital paulista foi de 30,0ºC, 2ºC acima da média máxima histórica de março de 28,0ºC.

Na cidade de Belo Horizonte, por sua vez, a média de temperatura máxima nos primeiros cinco dias do mês de março foi de 30,7ºC, quando a média máxima histórica mensal na capital mineira é de 28,4ºC.


Nos últimos dias, o canal de umidade da Amazônia esteve mais deslocado para o Sul do Brasil, o que trouxe chuva para áreas castigadas por estiagem no Rio Grande do Sul. Nos próximos sete dias, a chuva será mais frequente em São Paulo, no Triângulo e no Sul de Minas, e em áreas mais ao Sul do Rio de Janeiro, mas predominantemente na forma de pancadas que são isoladamente fortes e com temporais localizados que se alternam com horas de sol e calor.

Por sua vez, do Centro para o Norte e o Leste de Minas Gerais, no Norte fluminense e no Espírito Santo deve pouco chover. Nestas regiões, onde o tempo firme deve predominar até a metade do mês, os dias seguem muito quentes. Áreas mais próxima do oceano em São Paulo e no Rio de Janeiro podem ter um alívio modesto do calor na semana que vem, mas, no geral, no interior da região, a temperatura seguirá perto ou acima da média na maioria das localidades.

Uma preocupação sempre em março e abril, adverte a MetSul, é quando uma massa de ar frio avança pela costa do Sul do Brasil e chega ao litoral do Sudeste. Isso porque pode gerar chuva extrema associada ao relevo, como se viu em fevereiro no litoral Norte paulista. Os dados, porém, não indicam hoje nenhuma incursão de ar frio relevante nos próximos dez a quinze dias na costa do Sudeste.