Iguazu Argentina/Divulgação

Não apenas o Rio Grande do Sul enfrenta estiagem. Uruguai, províncias do Nordeste da Argentina, e os estados de Santa Catarina e do Paraná também sofrem com a escassez de precipitações mais volumosas. 

As fotos a seguir mostram a situação das Cataratas do Iguaçu no lado argentino, em Puerto Iguazu. Algumas quedas secaram e em outras há um “fiapo de água”. A seca é considerada histórica em lIguaçu. A vazão nas cataratas, de acordo com a administração do parque no setor argentino, é de 1300 a 1500 metros cúbicos por segunda e no último domingo era de 289 metros cúbicos por segundo. 



A estiagem que assola o Paraná com chuva escassa na bacia do Iguaçu tem forte influência na diminuição da vazão. O Rio Paraná também tem uma baixa histórica com o menor nível desde 1978, segundo as medições feitas na represa hidrelétrica de Yaciretá, na localidade da província de Corrientes de Ituzaingó. O volume médio de 2019 na represa foi o mais baixo desde 1978 com 10.900 metros cúbicos por segundo, mas acima dos 10.500 de 1978.