Anúncios

O calor muito intenso a extremos segue castigando a Argentina de Sul a Norte com a onda de altas temperaturas se estendendo da região patagônica até províncias mais perto da Bolívia. A temperatura tem ultrapassado os 40ºC em algumas províncias com o calor mais forte atuando no Oeste do país, na região do Cuyo.


No sábado, os termômetros indicaram 42,0ºC em La Rioja, 41,8ºC em Rivadavia, 40,7ºC em San Juan, 40,6ºC em Chamical e 40,0ºC em Villa Dolores. Muitas cidades argentinas tiveram uma tarde de sábado com máximas entre 37ºC e 40ºC, incluindo alguma das maiores do país como Córdoba que foi a 38,8ºC.

Mesmo localidades da Patagônia ou conhecidas pelo frio intenso no inverno nas províncias mais austrais da Argentina experimentaram muito calor na tarde do sábado. Em Bariloche, por exemplo, os termômetros indicaram 41ºC. Em Maquinchao, que muitas vezes tem as mínimas do país, a máxima foi de 33,0ºC.


Na região metropolitana da capital argentina, o calor intenso também se fez presente. Dados das estações do Serviço Meteorológico Nacional da Argentina apontaram máximas de até 35,6ºC em Ezeiza. No observatório central da cidade de Buenos Aires, a máxima foi de 32,7ºC.

Cinco estações tiveram no sábado recordes de calor para novembro na Argentina. Junín (Buenos Aires) foi a 39,7ºC e bateu o recorde de 38,5ºC de 22/11/2003. General Pico (Buenos Aires) teve máxima de 39,5ºC que superou o recorde de máxima mensal de 39,2ºC de 17/11/1965. Nueve de Julio (Buenos Aires) anotou 38,4ºC, superando os 37,9ºC de 16/11/1979. Já Trenque Lauquen (Buenos Aires) igualou o registro de 27/11/1971 com 38,3ºC. Finalmente, Pehuajó registrou máxima de 37,6ºC que bateu o recorde de novembro de 37,2ºC de 23/11/1971.

Na última quinta-feira, a Grande Buenos Aires teve recordes de calor. As máximas na quinta chegaram a 38,6ºC em Ezeiza a 38,0ºC em Morón, recordes para novembro na série 1961-2022. O recorde de calor para o mês na estação de Ezeiza, onde está o aeroporto internacional da capital argentina, era de 36,6ºC em 15 de novembro de 1985.

Alerta vermelho

O SMN está com alertas amarelo, laranja e vermelho pelas altas temperaturas para diversas províncias. Os avisos compreendem o Centro e o Oeste do país. Um alerta vermelho foi emitido para parte da província de San Luís. O aviso significa condições “muito perigosas que podem afetar a saúde de todas as pessoas, inclusive as saudáveis”.

Há avisos laranja para setores da Grande Buenos Aires, Santa Fé, Entre Ríos, Mendoza e ainda a província de Córdoba. A previsão é que novamente neste domingo a temperatura supere ou se aproxima dos 40ºC em províncias do Centro e o Oeste argentino.

Calor no Rio Grande do Sul

A massa de ar quente na Argentina tem seus reflexos no Rio Grande do Sul, mas sem a mesma intensidade. O calor no estado gaúcho é mais intenso justamente em cidades localizada nas proximidades da fronteira com o país vizinho, na Metade Oeste.

Na tarde de ontem, estações oficiais do Instituto Nacional de Meteorologia acusaram máximas de 34,4ºC em Santa Rosa, 34,0ºC em Uruguaiana, 33,5ºC em São Luiz Gonzaga e 33,3ºC em São Borja. As máximas no Noroeste superaram os 35ºC em estações particulares.

Os próximos dias seguirão muito quentes na Metade Oeste gaúcha com máximas em torno dos 35ºC neste início de semana em Uruguaiana, mas que podem atingir 36ºC a 37ºC na terça e na quarta, dias que serão os mais quentes da semana.

No Noroeste gaúcho, o calor também será intenso com máximas de 34ºC a 36ºC ao menos até quarta-feira. Um ponto ou outro pode ter marcas mais elevadas que podem se situar entre 36ºC e 37ºC, mas não há previsão de marcas de 40ºC como na Argentina.

Mais a Leste do estado, o calor não é tão intenso. Ontem, em Campo Bom, a máxima foi de 30,5ºC. E não deve mudar muito. Neste domingo, na segunda e na terça, as máximas em Campo Bom devem ficar entre 30ºC e 31ºC. O vento, que sopra por vezes moderado e com rajadas, alivia a sensação de calor.

Anúncios