Anúncios

Motoristas que circulavam por estradas gaúchas nesta sexta-feira (14) ouvindo rádios locais foram surpreendidos com a entrada de sinal de emissoras argentinas. Especialistas ouvidos pelo Grupo Sinos indicam que possivelmente o fenômeno físico tem relação com a potente massa de ar quente e seco que predominava sobre a região.

Um dos relatos foi na região do Vale do Rio Pardo. O motorista ia de Venâncio Aires a Santa Cruz do Sul quando passou a captar sinal de uma rádio FM de Buenos Aires. O outro foi na Free-way (BR-290). Empresário de Novo Hamburgo seguia em direção ao Litoral Norte quando, na altura da Lagoa dos Barros, foi surpreendido com a programação de uma rádio de Mar del Plata que registrou nesta sexta a temperatura mais alta da sua história com 42ºC na cidade argentina que fica a 1.110 quilômetros de Osório, em linha reta.


“Estava ouvindo a Rádio ABC 103.3 FM quando, perto da Lagoa dos Barros, simplesmente entrou o sinal de uma FM da Argentina, a Universo, que opera na mesma frequência 103.3 FM”, contou o ouvinte. Segundo ele, poucos quilômetros depois, perto de Osório, o sinal argentino perdeu força. Ele relatou o inusitado em um vídeo.


O professor-doutor e pesquisador Carlos Fernando Jung, do Observatório Heller-Jung, de Taquara, diz que o fenômeno físico pode ter relação com as condições climáticas da região na manhã desta sexta. “Mas depende da posição das camadas superiores da atmosfera, nuvens e umidade do ar. São vários fatores que devem se combinar para que isso ocorra”, resume.

Segundo Jung, pode ter havido uma “reflexão das ondas de rádio desta emissora em camadas superiores da atmosfera e a intensidade do sinal ficar elevada por breves momentos em determinados pontos”. Ele observa que não é algo comum em se tratando de emissoras FM. “Não é algo que acontece a todo momento, mas pode acontecer”, conclui.

Um dos mais respeitados técnicos de rádio do interior gaúcho, Fernando Wolf conta que há dias vem percebendo a entrada de sinal de FMs da Argentina na região central do Rio Grande do Sul. “Quando temos eventos de tempo muito quente e seco ou então uma enorme frente fria, não é raro que o sinal de rádios e TVs se propaguem”, resume, acrescentando que isso pode ocorrer também em regiões mais abertas, como no registro do ouvinte da ABC 103.3 FM perto de Osório.

Conforme Wolf, registros como o desta sexta eram mais comuns até alguns anos atrás, antes da migração das AMs para o FM, o que deixou o espectro mais cheio. “Rádios da Argentina, Uruguai e Paraguai entravam com mais frequência no Estado. Agora isso ficou um pouco mais incomum”, comenta, dizendo que tem na família relatos de quando o sinal de uma TV chilena foi captado em Santa Cruz do Sul. “Meu pai dizia que depois disso o tempo virava. E foi o que aconteceu: choveu no fim da tarde em parte do Estado”, conclui. (por Igor Muller/Jornal NH)

Anúncios