Anúncios

O planeta esteve longe de ter tido o seu ano mais quente até hoje registrado, mas partes da Terra experimentaram em 2012 um ano insólito de temperatura muito acima da média. O mapa abaixo, divulgado pela Universidade do Alabama em Huntsville (UAH), mostra as anomalias de temperatura no planeta em 2012 em relação à média dos últimos 30 anos, conforme medições feitas por satélites da NASA. Segundo a universidade, 2012 foi o nono ano mais quente desde que foram iniciadas as análises por satélite em 1979. No ano passado o globo ficou 0,16ºC acima da média de temperatura das últimas três décadas. Onze dos doze anos mais quentes do período de observação por satélite ocorreram desde 2001, exceto 2008, de acordo com a Universidade do Alabama. Nos Estados Unidos, 2012 foi o ano mais quente até hoje registrado. Os dados da Universidade do Alabama mostram que a área mais fria em relação ao normal em 2012 na Terra foi a parte central da Mongólia enquanto a que teve temperatura mais acima do normal foi o Mar de Kara no Ártico.



Os dados de superfície confirmaram as medições por satélite e ratificaram 2012 como o ano mais quente nos Estados Unidos desde o inícios dos registros regulares em 1895. A temperatura média do país para o ano todo foi de 12,9ºC, conforme o NOAA, superando em 0,6ºC o recorde anterior de 1998. A temperatura anual ficou 1,8ºC acima da média do século XX. Todos os 48 estados na área continental norte-americana terminaram 2012 com temperatura acima da média. Em 19 houve recorde absoluto anual e 26 tiveram um dos dez anos mais quentes até hoje.


No Rio Grande do Sul, a mesma tendência foi observada. Apesar de relatos de neve em São José dos Ausentes em pleno fim de abril, de uma poderosa onda de frio em junho que trouxe incrível geada até para o Centro de Porto Alegre e de 16 dos 31 de julho terem tido temperatura negativa no Estado, o ano foi muito quente no Rio Grande do Sul, muito em consequência de alguns meses com anomalias extraordinárias, sobretudo agosto, quando a temperatura em algumas cidades gaúchas ficou até 6ºC acima da média histórica do mês, algo que foi muito além de um forte desvio.


Média móvel de 30 dias de anomalia de temperatura em Santa Maria em 2012

Porto Alegre teve o ano mais quente desde o começo das medições na cidade em 1910, apesar das medições oficiais terem ocorrido em locais distintos da cidade nos últimos 103 anos. Em três ocasiões no ano, a máxima oficial da cidade foi igual ou maior a 39ºC: 19/2, 20/12 e 25/12. A temperatura média anual em 2012 na Capital foi de 20,8ºC, marca 1,3ºC acima da média histórica anual do período 1961-1990 de 19,5ºC. Dez meses de 2012 tiveram temperatura acima das normais históricas em 2012 em Porto Alegre, exceção de abril e julho, que foi o mês mais frio do ano com temperatura média de 13,3ºC, 1ºC abaixo da normal. Apesar de fevereiro e maio terem sido meses muito quentes com médias quase 2ºC acima do normal, foi o segundo semestre que alavancou o valor anual da Capital para cima.


Anomalias de temperatura mensais de 2012 em Porto Alegre e evolução da temperatura diariamente em relação à média das mínimas e máximas nos dois meses mais quentes do ano na Capital: agosto e dezembro


Evolução diária da temperatura em relação à média em Porto Alegre no mês de julho, o único com forte anomalia negativa na cidade em 2012

Houve picos de calor que fizeram história em Porto Alegre ao longo de 2012. A máxima no domingo de Carnaval (19/2) na estação convencional do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) no Jardim Botânico, que é usada para fins climatológicos, foi de 39,0ºC. Antes, nos últimos 50 anos, somente em 2010 tinha havido temperatura igual nos registros oficiais do órgão. Foi no dia 7 de fevereiro de 2010, também com 39,0ºC. A marca  de 19 de fevereiro superou a máxima absoluta em Porto Alegre da série histórica 1961-1990 de 37,9ºC em 15 de fevereiro de 1975 e todas as máximas em fevereiro de 1991 a 2009. Na série 1931-1960, a máxima absoluta na Capital foi de 40,3ºC no dia 14 de fevereiro de 1958, ou seja, a máxima de fevereiro de 2012 igualou a maior temperatura oficial em Porto Alegre dos últimos 54 anos. Mesmo assim, no contexto, a onda de calor de fevereiro de 2010 foi mais intensa na Capital, com marcas até acima das de 19 de fevereiro de 2012 nas estações do Sistema Metroclima.

Agosto foi quase surreal. Porto Alegre teve o agosto mais quente desde o começo das medições em 1910 (leia mais). A média geral (composta) foi de 19,1ºC, incríveis 3,8ºC acima da normal, batendo o agosto de 2001 que era até aquele momento o mais quente da série histórica com média de 18,7ºC. A média mínima na Capital de 14,7ºC (2,9ºC acima da normal) também foi a maior em um século em agosto, batendo o recorde de 14,4ºC de 2001. A média máxima de 26,3ºC (6,0ºC acima da normal) foi a maior já vista no mês, liquidando o recorde de 2001 (25,0ºC). Exemplos do absurdo de agosto é que Bom Jesus, nos Aparados, teve uma média máxima de 21,2ºC, valor 0,9ºC acima da média máxima histórica de agosto de Porto Alegre, quase ao nível do mar. O agosto insólito fez a floração da primavera chegar um mês mais cedo do que o habitual.


Em dezembro, no dia 20, a estação oficial de referência de Porto Alegre, mantida pelo Instituto Nacional de Meteorologia, indicou máxima de 39,1ºC, a mais alta até então de 2012 e que batia o registro anterior de 39,0ºC de 19 de fevereiro. A temperatura jamais atingiu 40ºC no Jardim Botânico desde que iniciados os registros no local na década de 70, mas ficou muito perto no dia 25 de dezembro, o Natal mais quente já testemunhado em Porto Alegre e chegou a registrar 41,2ºC em Torres, a maior temperatura para qualquer mês do ano em um século na cidade.


Digital de rua – exposto ao sol – junto ao Mercado Público em 25 de dezembro de 2012

Em todas as quatro oportunidades em que Porto Alegre teve 40ºC ou mais pela climatologia histórica, a estação era pertencente ao Instituto Coussirat de Araújo e funcionava perto do Centro como na Redenção ou na Faculdade de Engenharia. Pela base de dados histórica, fez 40,4ºC em 17 de fevereiro de 1929, 40,7ºC em 1 de janeiro de 1943, 40,0ºC em 2 de janeiro de 1949 e 40,3ºC em 14 de fevereiro de 1958, segundo o banco de dados do Instituto Nacional de Meteorologia. O 25 de dezembro de 2012 entrou para a climatologia oficial da Capital como o quinto dia mais quente em 103 anos com 39,8ºC de máxima na estação convencional (estação automática abaixo indicou 39,0ºC).



A média anual de 2012 em Porto Alegre de 20,8ºC superou os maiores valores anteriores da série histórica centenária de 20,7ºC em 1940, 20,6ºC em 2001 e 20,4ºC em 1961. O geógrafo e glaciologista da UFRGS Jefferson Cardia Simões observa que não se pode atribuir um ano muito quente isolado às mudanças climáticas de aquecimento do planeta, mas ressalva que tais extremos de calor devem se tornar mais freqüentes, de acordo com as pesquisas. “Explicar o 2012 quente nos Estados Unidos é fácil pelo forte aquecimento da região do Atlântico Norte, mas no caso do Rio Grande do Sul é mais difícil”, pondera o meteorologista Marcelo Schneider, chefe de previsão do distrito do Instituto Nacional de Meteorologia em São Paulo. Para Schneider, chama atenção recentemente o aumento da frequência de extremos do clima.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

O diretor da MetSul Meteorologia Eugenio Hackbart concorda e destaca que 2012 foi ano incomum de muitos extremos térmicos no Estado, em particular agosto, que definiu como bizarro pela temperatura até 6ºC acima do normal em algumas cidades gaúchas. “Muito parecido com o março dos Estados Unidos que foi absurdamente mais quente que o normal”, diz. Hackbart ressalta que vários pontos de Porto Alegre ficaram mais quente nos últimos anos à medida que se amplia a urbanização, o que gera o efeito de ilha de calor urbano, mas ressalta que a expansão imobiliária por si só está longe de explicar o porquê de 2012 ter sido tão quente em Porto Alegre, o que exigirá estudos mais amplos e não respostas imediatas.

Anúncios