Anúncios

A MetSul Meteorologia reitera uma vez mais seu alerta quanto à perspectiva de chuva em volumes muito elevados a excessivos em parte do Rio Grande do Sul no fim de semana. O episódio de precipitação tende a ser o mais significativo no Estado dos últimos meses com volumes em muitos locais próximos ou acima da média de chuva do mês inteiro em questão de apenas 48 horas. Os maiores volumes, conforme a análise da MetSul, devem se concentrar desta vez ao redor de Porto Alegre, incluindo a região metropolitana, vales do Rio Pardo, Caí, Paranhana, Taquari, Sinos, e ainda a o Litoral Norte, especialmente de Quintão até Arroio do Sal. A chuva se intensifica muito neste sábado, sobretudo da tarde para a noite, e permanece forte no decorrer do domingo. Neste período de só 36 horas, os acumulados de precipitação podem atingir ou mesmo superar 100 mm em vários pontos destas regiões, ou seja, pode chover 70% a 80% da média do mês todo (e agosto é o mês mais chuvoso da climatologia anual) em apenas um dia e meio. Pode chover, segundo diversos modelos, entre 100 mm e 150 mm em partes da Grande Porto Alegre e de 100 mm a 200 mm em vários locais entre parte da Serra e o Litoral Norte.



Projeção de chuva acumulada em cinco dias das últimas duas saídas do modelo MBAR (Modelo Brasileiro de Alta Resolução) segue indicando volumes muito altos sobre as bacias dos principais rios que cortam a Metade Norte do Rio Grande do Sul

A frente semi-estacionária que nesta sexta-feira atua entre o Norte do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, onde chove mais, recuará para o Sul neste sábado com o ingresso de ar mais quente no Norte gaúcho, o que intensificará muito a instabilidade, sobretudo junto ao Centro do Estado, pelo impressionante gradiente térmico em altura que vai se criar entre o Sul e o Norte do Estado. No domingo, o sistema irá seguir quase estacionário sobre a Metade e a instabilidade ganha força pela formação de uma área de baixa pressão no Sul do Brasil. Por isso, a expectativa de vento do quadrante Sul (principalmente da direção Sudeste) durante o fim de semana, especialmente no domingo, quando as rajadas devem ser mais fortes em Porto Alegre com velocidade de 50 a 70 km/h. Como o solo saturado pela água e logo mais instável, o vento pode trazer queda de árvores na Capital. Tal como ontem à noite, quando da chegada do ar frio, o vento ainda pode provocar falta de luz em pontos localizados. Rajadas de vento forte devem ser ainda esperadas na parte central e Norte da Lagoa dos Patos e no Litoral Norte.


Mapas das bacias dos Rios dos Sinos e Gravataí que devem receber um grande volume de chuva – Divulgação/SEMA

Segue o alerta quanto a risco de alagamentos, cheias de rios, deslizamentos de terra e queda de barreiras em rodovias do Centro para o Norte do Estado neste fim de semana. Os últimos dados mantiveram a chuva volumosa nas nascentes das Serras, mas é grande a preocupação com volumes ainda mais altos nos vales e nas áreas mais ao Sul da Serra. Por isso, rios com nascentes próximas da Grande Porto Alegre e do Litoral Norte, como o Sinos e o Gravataí, trazem a maior preocupação.

A poderosa massa de ar polar que atua na Argentina provocou neve nas últimas horas em vários pontos da costa da província de Buenos Aires. Ontem  já tinham caído grãos de neve na cidade de Mar del Plata, mas na madrugada desta sexta foi a vez dos flocos aparecerem em La Feliz. Houve até pequena acumulação na cidade costeira e turística da província de Buenos Aires. Neve em Mar del Plata não é rara, mas também não é recorrente. A cidade teve nevadas em 1991, 2004, 2007 e 2010.


Neve na província argentina de Chubut (região patagônica) teve grande acumulação no dia de ontem – C5N/Reprodução

Depois dos registros de neve ontem e hoje em Mar del Plata, na Argentina, e de grãos de neve em Mercedes no Uruguai, neve granulada caiu na manhã de hoje em Caçapava do Sul, no Centro-Sul do Rio Grande do Sul. É a segunda vez neste inverno que há registro de neve no Sul gaúcho, o que é pouco freqüente na climatologia média dos últimos 10 a 20 anos. Houve relato de queda de gelo até em Itaqui, na Fronteira Oeste. A MetSul não descarta novas ocorrências de neve granulada ou em flocos e/ou chuva congelada nas partes altas da Metade Sul do Estado no restante desta sexta e no sábado à medida que a atmosfera fica mais instável na região e o frio aumenta na Metade Sul. Até nas áreas mais ao Sul da Serra não se afasta precipitação de inverno nas próximas horas. Mesmo na parte Oeste do Estado não se afasta chuva congelada amanhã. Está nitidamente mais frio do que era projetado pelos modelos, inclusive pelas projeções computadorizadas que eram as mais radicais na intensidade do frio, especialmente nas camadas mais baixas e próximas da superfície. A manhã inteira foi de temperatura entre 2ºC e 3ºC em Caçapava do Sul. Canguçu registrou mínima de 0,7ºC na estação automática do Inmet. A menor marca no Estado, contudo, foi em Morro Redondo, onde a estação da MetSul acusou 0,2ºC abaixo de zero.


Projeção de anomalia de temperatura para amanhã indica ar polar muito potente sobre o Centro do continente

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

A tendência é que o frio aumente ainda mais. O fim de semana será marcado por muito frio o dia inteiro no sábado e no domingo, mais intenso no Oeste, Centro e no Sul gaúcho. As máximas devem ser muito baixas com marcas de um dígito durante as 24 horas do dia em muitas cidades. Nos Aparados, apesar de frio, a temperatura não ficará tão baixa pelo ingresso de ar mais quente com a área de baixa pressão na região. A primeira metade da próxima semana registrará madrugadas geladas e com temperatura negativa no Estado, especialmente na terça e na quarta. É alta a probabilidade de geada mais generalizada nos dois dias, mas a terça ainda pode ter cobertura de nebulosidade no Leste e no Nordeste gaúcho.

Anúncios