Anúncios

Não é preciso ser meteorologista para saber que o dia de hoje será de castigar pelo calor extremo no Estado, mas o nosso dever é advertir que os gaúchos vão experimentar um dia 25 de dezembro de marcas atipicamente elevadas até mesmo para dezembro. Pode ser o dia de Natal mais quente já registrado em décadas ou mesmo de toda a série histórica de algumas cidades do Rio Grande do Sul. Massa de ar extremamente quente cobre agora o território gaúcho e ontem já foi responsável por marcas de até 39,9ºC à sombra em Santa Cruz do Sul com sensação de 53ºC na estação da Embrapa em Pelotas. Para a manhã de hoje, os modelos chegam a indicar temperatura até 10ºC acima da média desta época do ano no Sul gaúcho (mapa abaixo), mas à tarde desvios entre 8ºC e 10ºC em relação ao padrão histórico são esperados por quase todo o Estado.



Muitos locais já terão marcas acima de 35ºC antes mesmo do meio-dia, como é caso da Grande Porto Alegre, afinal o amanhecer já foi muito quente. A temperatura mínima na estação automática do Inmet do Jardim Botânico hoje foi de 28,3ºC, mas é gigantesca a nossa expectativa para o dado de logo mais das 10h30m da manhã a ser divulgado pelo Inmet da mínima na estação convencional. Porto Alegre pode ter tido a mais alta mínima de toda a sua série histórica de 102 anos, para dezembro e qualquer mês do ano. E a tarde vai ser dura de agüentar. As máximas em alguns pontos, sobretudo do Centro do Estado (vales do Taquari, Rio Pardo, Caí, Sinos e Paranhana), podem atingir de 40ºC a 42ºC com índices de calor (heat index), com base na umidade, acima de 50ºC e talvez até próximos de 55ºC em alguns pontos.

É calor muito extremo que representa risco alto para a saúde de pessoas mais idosas e até de mais jovens que venham a praticar atividade física excessiva sob tais condições. Em Porto Alegre, as máximas vão ficar entre 38ºC e 40ºC na maioria dos bairros, superiores em alguns pontos. Os problemas de falta de água já registrados pelo excessivo consumo em razão do calor na área metropolitana devem se agravar. Também em Santa Catarina, principalmente no Sul e pontos do Leste do Estado, o calor deverá ser extremo hoje com máximas de 41ºC a 43ºC em algumas localidades.

A expectativa não é só pelas marcas de calor. Há uma grande preocupação, justificada, do público sobre o risco de temporais. O lento deslocamento da instabilidade do Prata fará com que os temporais não atinjam todo o Rio Grande do Sul hoje. Devido ao calor muito intenso não se pode afastar formações localizadas da tarde para a noite em nenhum ponto do Estado, mas, serão predominantemente eventos mais isolados. O risco é maior para a Metade Sul e parte do Oeste. Amanhã, contudo, já na primeira metade do dia, espera-se que a instabilidade se generalize pelo Rio Grande do Sul, atingindo a maioria das regiões do Estado.



Com a atmosfera aqui muito quente, pressão bastante baixa e ainda com uma corrente de jato em baixos níveis, é alto o risco de intensos temporais localizados no território gaúcho com chuva torrencial, vendavais até com potencial destrutivo (120 a 150 km/h) e granizo. No dia de hoje, torna-se a repetir, as ocorrências até podem ser severas, porém bem mais localizadas. Já nesta quarta-feira, a possibilidade de chuva forte e/ou temporais será mais ampla. Não se pode descartar instabilidade em Porto Alegre no final deste dia 25, mas enfatizamos que há a chance da chuva atingir a Capital apenas nesta quarta, prolongando por mais horas o calor extremo. Aliás, a MetSul enfatiza que é alto o risco de chuva com altos volumes no Rio Grande do Sul, inclusive na área da Capital, entre amanhã e sexta com volumes facilmente acima dos 100 mm em alguns pontos. O que chamará a atenção do público ainda será a dramática queda da temperatura. Porto Alegre e muitas cidades do Rio Grande do Sul podem ter da tarde para a noite de quarta-feira temperatura 20ºC a 22ºC mais baixa em relação às máximas deste Natal, queda da temperatura literalmente pela metade. Quinta e sexta terão marcas bem amenas e inferiores à média histórica por conta de máximas baixas, não tanto as mínimas, com a manutenção da instabilidade.

Atualização (10h30m): Não houve recorde oficial de maior mínima em Porto Alegre. A menor marca na estação automática do Inmet no Jardim Botânico foi de 28,3ºC, porém o dado que vale para a estatística oficial é o da estação convencional do local, onde a mínima foi de 27,3ºC, logo abaixo do recorde de maior mínima de toda a série histórica de 27,9ºC.

Anúncios