Anúncios

CPTEC/INPE

Um aglomerado de nuvens de temporal atingiu a costa do Sudeste do Brasil no começo desta terça-feira. 

Com efeito, o aglomerado que se chama em Meteorologia de sistema convectivo de mesoescala trouxe chuva forte com acumulados superiores a 70 mm em poucas horas.


Áreas do litoral paulista e também do Rio de Janeiro registraram chuva forte com significativos acumulados em curto período de tempo.

O sistema avençou entre a noite de ontem e a madrugada de hoje pelo litoral de São Paulo. A chuva em Bertioga foi de cerca de 40 mm em pouco menos de duas horas. Já em Ilhabela, os pluviômetros marcaram aproximadamente 80 mm em aproximadamente três horas.

A chuva atingiu outras áreas litorâneas também à medida que a instabilidade avançava pela costa.

O sistema chegou ao Rio de Janeiro no início da manhã de hoje. A precipitação em Saquarema somou 72 mm de chuva em duas horas.

O que é um sistema convectivo de mesoescala?

Os Sistemas Convectivos de Mesoescala (SCMs) são aglomerados de nuvens de grande desenvolvimento vertical que, em geral, possuem tempo de vida entre 6 e 12 horas.

Os sistemas podem produzir precipitação contínua sobre regiões que excedem a cem quilômetros na escala horizontal.

Em contrapartida, as tempestades podem produzir chuva intensa, granizo, ventos fortes e relâmpagos.

Este tipo de fenômeno pode ser classificado conforme a sua forma geométrica. Complexos Convectivos de Mesoescala (CCMs), Linhas de Instabilidade (LIs) e Sistemas Convectivos Alongados (SCAs).


Com efeito, o sistema que atingiu a costa do Sudeste do Brasil pode ser classificado como um complexo convectivo.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Em síntese, os CCMs são aglomerados de nuvens cumulonimbus que, em imagens de satélite, apresentam formato circular, com temperatura inferior no centro.

Anúncios