Anúncios

A intensa e histórica nevasca que atingiu a Espanha há poucos dias ainda cobre de branco grande parte do país, como mostra a imagem do satélite Copernicus Sentinel-3. A imagem, captada em 12 de janeiro às 11:40 na hora central da Europa, mostra o quanto do país ainda enfrenta condições perigosas após a neve que caiu no fim de semana – a maior nevasca que o país teve em cinco décadas.

ESA

A tempestade Filomena atingiu a Espanha no fim de semana, cobrindo grande parte do país com neve espessa. Madrid, uma das zonas mais afetadas, foi paralisada com o encerramento do aeroporto, o cancelamento dos comboios e o bloqueio das estradas. O Sistema Copernicus divulgou uma imagem de satélite específica da capital espanhola coberta de neve. 



Copernicus

Moradores no Centro da Espanha enfrentam agora uma onda de frio extremo que se segue à neve pesada. Ontem, a temperatura despencou para 25°C negativos em Molina de Aragón e Teruel, nas montanhas a Leste de Madrid – a noite mais fria da Espanha em pelo menos 20 anos, informou a Aemet.

Copernicus Sentinel-3 é uma missão de dois satélites. Cada satélite carrega um conjunto de instrumentos de ponta para medir sistematicamente os oceanos, a terra, o gelo e a atmosfera da Terra para monitorar e compreender a dinâmica global em grande escala. Por exemplo, com uma largura de faixa de 1270 km, o instrumento de cores oceano e terra, que adquiriu as duas peças para a imagem da Espanha, fornece cobertura global a cada dois dias.

Anúncios