Anúncios

“Casa Milagre” foi cercada rapidamente pela lava e acabou escapando de ser destruída, como centenas de outras na ilha, pelos rios de magma que emanam da erupção do vulcão em La Palma | EMILIO MORENATTI/POOL/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Uma imagem chamou atenção do mundo na erupção do vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, nas Ilhas Canárias. Centenas de casas foram alcançadas e destruídas pela lava, entretanto uma solitária moradia em encosta perto da boca eruptiva resistiu intocada. A moradia foi cercada pelo magma incandescente, mas o material vulcânico desviou da casa que permaneceu como uma ilha em meio à lava com temperatura de até mil graus. É a “Casa Milagre”, como já é chamada nas redes sociais.

O jornalista Gonzalo Suárez conta, no El Mundo, que a holandesa Ada Monnikendam navegava pelas redes sociais quando viu uma das várias fotografias do vulcão e da lava em La Palma. Era uma imagem, escreveu o jornalista, “de uma idílica casa unifamiliar que escapou milagrosamente ao rio de lava do vulcão do Cumbre Vieja, numa minúscula ilha rodeada de rocha” vulcânica. Ao ver a imagem, Ada disse que conhecia a casa. “Eu e o meu marido construímos”, afirmou.


De acordo com a Agência Brasil, o casal construiu a casa para Inge e Rainer Cocq, dois dinamarqueses que não vão à ilha há dois anos. São octogenários e, com a pandemia de covid-19, ficaram com receio de viajar. Ada Monnikendam informou que todos choraram como loucos quando ela lhes contou que “a casa estava intacta”.

A holandesa vive na ilha desde 1976. É representante de uma empresa de construção de casas. Foi ela quem tratou da construção da “casa milagre”, como agora é conhecida. A lava circulou em volta da pequena casa que fica em El Paraíso, onde mais da metade das residências foram destruídas, assim como a escola da localidade. Os donos continuam na Dinamarca e não pensam em viajar logo para a ilha. Segundo o jornalista, eles ficaram, obviamente, muito contentes porque a casa escapou à fúria da natureza. Dizem agora que talvez voltem, quando a situação se acalmar. Eles ou os filhos.

A erupção do vulcão Cumbre Vieja ganhou muita força nas últimas horas com sucessivas explosões que arremessam magma no ar e rochas incandescentes nos locais próximos. Isso fez com que as autoridades emitissem uma ordem de emergência de evacuação para a população local que vive próxima ao local da erupção. O ruído das explosões vulcânicas é incessante e algumas são violentas a ponto de gerar ondas de choque pelo deslocamento do ar.

A erupção é a primeira em La Palma desde outubro de 1971, quando o vulcão Teneguia expeliu lava durante três semanas. La Palma, com 85 mil habitantes, é uma das oito ilhas do Arquipélago das Canárias. No seu ponto mais próximo com a África, dista 100 quilômetros do Marrocos. As Canárias estão a 460 quilômetros da ilha da Madeira, em Portugal, e a 1.428 quilômetros da Ilha do Sal, em Cabo Verde.

O cenário de abertura de novas fissuras eruptivas é possível. A superfície continua a inflar e se deformar, o que é um sinal de que mais magma está sendo armazenado no subsolo e pode irromper na superfície. Os especialistas dizem que os caminhos existentes não são grandes o suficiente e que o vulcão pode optar por aumentá-los ou criar novos com aberturas de mais fissuras.


A atividade vulcânica na parte Sul da ilha de La Palma já dura pelo menos 125.000 anos e formou o vulcão conhecido como Cumbre Vieja, ou também simplesmente como Dorsal Sur. Apesar de serem estruturas diferentes, o Cumbre Vieja pode fazer parte do vulcão Taburiente. O Cumbre Vieja entrou em erupção em 1971, 1949, 1712, 1677, 1646 e 1585.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas


É o vulcão mais ativo das Ilhas Canárias. As erupções ocorreram em intervalos de 20-60 anos. Exceção foi a notável dormência de 237 anos entre 1712 e 1949. Cientistas especulam que a enorme erupção de seis anos na vizinha Ilha de Lanzarote, em 1730, induziu a longa dormência em Cumbre Vieja de mais de dois séculos até 1949.

Anúncios