Anúncios

Um homem senta-se em um banco cercado pela água de inundação do Rio Danúbio em Budapeste enquanto os cais inferiores da margem do rio estão submersos devido às inundações. Devido ao clima excepcionalmente chuvoso nos últimos dias, o Rio Danúbio transbordou em Budapeste. | FERENC ISZA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

As autoridades na Hungria declararam estado de emergência, já que o Rio Danúbio atinge seus níveis mais altos de água desde as devastadoras inundações de 2013. A situação é especialmente crítica nas proximidades do Parlamento Húngaro, onde o rio transbordou, inundando o cais inferior e ruas que normalmente estariam movimentadas com carros.

Para lidar com a situação, Budapeste fortaleceu suas defesas contra inundações e mobilizou serviços de emergência para fornecer assistência conforme necessário. As crescentes águas de inundação representam uma ameaça significativa para as propriedades ao longo da margem do rio, levando as autoridades a emitirem avisos instando os moradores a agirem com cautela e evitarem essas áreas afetadas.


Os níveis altos do Rio Reno, que passa por partes da Alemanha e dos Países Baixos, causaram graves inundações. Os rios continuaram a subir nos Países Baixos na quarta-feira, causando inundações em algumas partes do país. Em áreas afetadas, diques temporários foram construídos com grandes sacos de areia para controlar o fluxo de água.

“O alto nível da água causa transtornos em várias partes do país. Estamos monitorando de perto a situação e tomando medidas quando necessário”, disse Mark Rutte, primeiro-ministro dos Países Baixos. “Desejo muita força a todos na Holanda que estão lidando com as desagradáveis consequências das fortes chuvas”, afirmou.


Na vizinha Alemanha, várias tempestades consecutivas resultaram em chuvas intensas em solo já encharcado. A situação nas áreas inundadas no Norte do país permanece precária, embora os meteorologistas digam que o ápice já passou. Perto de Bremen, o rio Weser transbordou. Casas e fazendas nas proximidades da cidade foram inundadas.

Cidades foram evacuadas na Alemanha após as águas das enchentes subirem devido às fortes chuvas. Rios e córregos transbordaram quando novos aguaceiros caíram em solo já encharcado no norte e leste do país. Bombeiros e voluntários reforçaram diques contra as crescentes águas das enchentes. Uma barragem artificial, um longo tubo cheio de água do rio em ascensão, foi usada na cidade de Braunschweig para proteger sua área central.

Foto aérea mostra uma piscina cercada pelas águas de inundação do rio Ruhr em Essen, no Oeste da Alemanha, em 26 de dezembro de 2023. Inundações afetam várias regiões da Alemanha com diversos rios fora do leito. | INA FASSBENDER/AFP/METSUL METEOROLOGIA

O mercado de peixes e as ruas circundantes na orla de Hamburgo inundados devido a uma maré de tempestade causada pela tempestade ciclônica “Zoltan/Pia” no Norte da Alemanha | AXEL HEIMKEN/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Placa de trânsito no rio Lippe inundado em Hamm, no Oeste da Alemanha. Sucessão de tempestades causa as enchentes no país. | INA FASSBENDER/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Centenas de pessoas em Windehausen foram orientadas a deixar suas casas depois que a cidade ficou sem energia, disse a agência de notícias DPA. Uma imagem publicada pelo Escritório Distrital de Nordhausen mostrou estradas e jardins inundados por toda a cidade.

O rio Saale transbordou, deixando grandes áreas entre Halle e Roepzig submersas. Centenas de voluntários e bombeiros usaram sacos de areia para reforçar as defesas contra enchentes em Uplengen, perto de Bremen, no Norte alemão.

Grandes partes das instalações do zoológico e parque de lazer ao ar livre Serengeti Park, no Norte da Alemanha, estavam completamente submersas nesta quinta-feira, enquanto o primeiro-ministro estadual visitava as instalações atingidas.

A água havia entrado em alguns dos recintos dos animais, disse uma porta-voz do zoológico, acrescentando que a equipe e os trabalhadores de emergência estavam tentando criar barragens improvisadas para proteger outros recintos. O zoológico realocou mais de 200 macacos, juntamente com alguns lêmures, cães-da-pradaria e suricatas, transferindo-os para outro local mais seco nas instalações.

Foto aérea de casa e um acampamento inundados com as graves enchentes de fim de ano perto do rio Ruhr em Witten, Oeste da Alemanha | INA FASSBENDER/AFP/METSUL METEOROLOGIA

De acordo com o Serviço Meteorológico Alemão (DWD), 2023 está a caminho de ser o ano mais quente desde o início dos registros em 1881. A temperatura de 2023 ultrapassa a temperatura média anual de 2022, que foi de 10,5ºC, sendo o ano mais quente anterior junto 2018.

Dados da Alemanha refletem o aumento global da temperatura. De acordo com o serviço de mudanças climáticas da União Europeia, o Copernicus, 2023 também foi globalmente o ano mais quente desde o início dos registros. Segundo o Copernicus, as temperaturas médias globais estavam 1,46ºC acima do período de referência pré-industrial de 1850 a 1900. Até agora, 2023 tem sido 0,13ºC mais quente que os primeiros 11 meses de 2016, o ano anterior recorde.

A Alemanha também enfrentou grandes inundações em junho, com os estados da Baixa Saxônia, Renânia do Norte-Vestfália e Renânia-Palatinado sendo os mais afetados. Em 2021, 184 pessoas perderam a vida nas piores inundações na Alemanha em décadas, sendo a maioria das mortes em Renânia-Palatinado.

A MetSul Meteorologia está nos canais do WhatsApp. Inscreva-se aqui para ter acesso ao canal no aplicativo de mensagens e receber as previsões, alertas e informações sobre o que de mais importante ocorre no tempo e clima do Brasil e no mundo, com dados e informações exclusivos do nosso time de meteorologistas.

Anúncios