Anúncios

A primeira semana de dezembro será marcada no Brasil por mais um episódio da Zona de Convergência do Atlântico Sul, conhecida no jargão meteorológico pela sigla ZCAS. Uma frente fria associada a um ciclone extratropical a Leste do Rio Grande do Sul avança para Norte e será o “gatilho” para a formação canal de umidade sobre o território brasileiro.

A formação da ZCAS significa redução do aporte de umidade da Amazônia para o Sul do país, uma vez que ar úmido está sendo direcionado mais para o Norte. Com isso, espera-se redução da chuva nos três estados do Sul que terão um começo de dezembro de precipitações escassas em muitas áreas.


Onde vai chover muito é na região sob influência da Zona de Convergência do Atlântico Sul. Normalmente afetada pela ZCAS, a Região Sudeste não sentirá tanto os efeitos deste evento do corredor de umidade, uma vez que deverá estar posicionado mais ao Norte do que costuma se ver, justamente pelo fato de o ciclone do qual deriva a frente fria estar mais perto do Sul do Brasil e não no Leste da Argentina.


O mapa acima mostra a projeção de chuva para sete dias do modelo meteorológico alemão Icon, disponível ao assinante na seção de mapas do site, em que se observa a tendência de em parte do Brasil Central, do Norte e da Região Nordeste chover muito com evento de ZCAS.

Conforme se observa no mapa, a perspectiva é que a chuva neste começo de dezembro seja mais volumosa em razão da ZCAS no Amazonas, Pará, Rondônia, Centro e Norte do Mato Grosso, Norte de Goiás, Tocantins, Oeste e Sul da Bahia, e ainda em pontos do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.

O que é a ZCAS?

A Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) é conhecida por uma faixa de nebulosidade que atravessa o Brasil. Este corredor de umidade, um verdadeiro rio atmosférico, tem uma orientação climatológica típica de Noroeste para Sudeste, estendendo-se da região da Amazônica até o litoral da Região Sudeste.

Em alguns casos, especialmente durante o verão, a orientação da ZCAS chega a levar a faixa de maior instabilidade até os litorais do Paraná e de Santa Catarina, o que explica o tempo às vezes muito chuvoso durante o verão no litoral catarinense enquanto o Oeste de Santa Catarina enfrenta estiagem e falta de chuva.

Os eventos de ZCAS são sazonais. São comuns entre os meses de novembro e março, ou seja, é um fenômeno típico de estação quente e podem durar até dez dias consecutivos, causando grandes volumes de precipitação nas áreas de atuação. Tais eventos podem ser iniciados com a participação de frentes frias, que atravessam o Sul do Brasil e que ao chegarem na Região Sudeste passam a gerar convergência de umidade da região amazônica até o Oceano Atlântico.

Anúncios