Vento com força de furacão atingiu nesta quinta-feira (17) a região patagônica. As rajadas ficaram entre 100 km/h e 140 km/h, especialmente entre a madrugada e o período da manhã. Localidades como Comodoro Rivadavia, Trelew e Rawson, dentre outras da região, experimentaram as rajadas mais fortes. Em estações meteorológicas, as rajadas mais fortes foram observadas nos aeroportos. Em Comodoro Rivadavia, 70 nós ou 129,7 km/h às três da madrugada. Em nenhum boletim horário até o fim da tarde de hoje o aeroporto local havia reportado rajadas inferiores a 40 nós (74 km/h). Em Trelew, de 60 nós ou 111 km/h às 9h da manhã.


A região está acostumada a ter vento forte pelo seu posicionamento geográfico, contudo o vento foi muito intenso e produziu estragos.



Houve registros de queda de árvores, de postes e destelhamentos, além do colapso de algumas estruturas e vidros estilhaçados pela força da ventania.

 

O meteorologista Nacho Lopez Amorim, do Serviço Meteorológico Nacional (SMN) da Argentina explicou que a forte ventania foi resultado de um cavado (vaguada em espanhol), uma área de menor pressão atmosférica, sobre a região patagônica. O grande gradiente de pressão com áreas de alta pressão no Pacífico e no Atlântico acabou gerando o vendaval.

Este cavado precede uma frente fria que trará acentuada queda da temperatura durante o fim de semana no Centro da Argentina, no Uruguai e no Sul do Brasil. Como é comum no ingresso de ar polar de maior intensidade, espera-se que a chegada do frio ocorra com vento moderado e em alguns momentos com rajadas em diversas regiões no sábado, mas não se espera uma repetição do que ocorreu na Patagônia no Rio Grande do Sul.