Anúncios

Cobertura arrancada pelo vento na Arena O2, anteriormente o Millennium Dome, em Londres, com a força da tempestade Eunice. Milhões de pessoas se refugiaram em suas casas com Eunice que trouxe vento recorde na Grã-Bretanha durante a sexta-feira, deixando as ruas de Londres assustadoramente vazias e interrompendo voos, trens e balsas em toda a Europa Ocidental. A capital do Reino Unido foi colocada sob seu primeiro alerta meteorológico “vermelho”. O mesmo nível de alerta estava em vigor no Sul da Inglaterra e no Sul de Gales, onde as escolas foram fechadas e os transportes paralisados. | TOLGA AKMEN/AFP/METSUL METEOROLOGIA

A tempestade Eunice continua a varrer o Noroeste da Europa na manhã deste sábado com fortes rajadas de vento na costa alemã e um balanço de pelo menos 13 mortes e extensos danos materiais assim como cortes de energia.

Formada na Irlanda, a tempestade atravessou na sexta-feira parte do Reino Unido e depois o Norte da França, antes de continuar sua rota para a Dinamarca e a Alemanha, que decretou alerta vermelho para grande parte do Norte do país.


“Existe o risco de rajadas violentas”, alertaram os serviços meteorológicos alemães, advertindo ainda para o risco de queda de árvores e destruição de telhados. “Fiquem longe de edifícios, árvores, andaimes e linhas de alta tensão. Se possível, evitem ficar ao ar livre”, pediram.

A tempestade deixou um rastro de danos em sua passagem e causou transtornos significativos. Centenas de voos, trens e balsas foram cancelados em todo o Noroeste da Europa por causa de Eunice que chegou menos de 48 horas após a tempestade Dudley que deixou seis mortos na Polônia e na Alemanha.


Até o momento, foram registadas 13 mortes por causa de Eunice: duas na Polônia e na Alemanha, quatro na Holanda, três na Inglaterra, uma na Bélgica e uma na Irlanda. Muitas dessas mortes são devido à queda de árvores sobre veículos.

Na Holanda, na capital Haia, dezenas de casas foram evacuadas por medo do desabamento do campanário de uma igreja. A rede ferroviária holandesa foi fechada e as conexões Amsterdã-Bruxelas foram interrompidas, com uma retomada prevista para a tarde, de acordo com um porta-voz.

Segundo o serviço de meteorologista britânico Met Office, as operações de limpeza deverão ser interrompidas por um novo vendaval, ainda menos forte, esperado em certas partes do Reino Unido. Pelo menos 400 mil casas permanecem sem eletricidade no Reino Unido. São 194 mil na mesma situação na Polônia, segundo as autoridades locais.

Na Inglaterra, uma rajada de 196 km/h foi registrada na Ilha de Wight, enquanto outras de mais de 110 km/h foram medidas no interior, inclusive no aeroporto londrino de Heathrow. O serviço meteorológico britânico emitiu um nível de alerta vermelho – o mais alto – para o Sul de Gales e o Sul da Inglaterra, incluindo Londres. Foi a primeira vez que a capital britânica atinge este nível de alerta desde a implementação deste sistema em 2011.

Partes da cobertura de lona da Arena O2 de Londres foram rasgadas pela força dos ventos da tempestade Eunice, fazendo com que o local fechasse. Inaugurado em 2000, e anteriormente conhecido como Millennium Dome, o marco em Greenwich, Sudeste de Londres, foi danificado por rajadas de até 110 km/h. A estrutura foi evacuada. “A segurança de nossos visitantes continua sendo de suma importância”, disse a O2 em comunicado. “Continuaremos a avaliar a situação em andamento e agir de acordo”, acrescentou um porta-voz.

Uma câmera de segurança no estádio do Tottenham Hotspur capturou imagens do teto do estádio se movendo violentamente com os ventos fortes. O estádio estava vazio no momento, mas se houvesse uma partida no momento é provável que o jogo fosse suspenso por temores de segurança. A oscilação do telhado é esperada com vento forte e a estrutura foi projetada para balançar sob vento intenso.

No Norte da França, trinta pessoas ficaram feridas em acidentes rodoviários ligados aos ventos, quedas ou quedas de materiais. Cerca de 75 mil casas estavam sem eletricidade nesta manhã e algumas ligações ferroviárias regionais foram interrompidas. Fortes rajadas de vento, juntamente com marés altas, aumentam o medo de inundações, especialmente porque fortes chuvas são esperadas para este sábado.

O tráfego de balsas foi interrompido, centenas de voos cancelados na sexta-feira, e os transportes rodoviário e ferroviário foram afetados. Toda a rede ferroviária holandesa foi atingida e apenas a rota Thalys Paris-Bruxelas estava operando nesta manhã.

Na Bélgica, de acordo com a Infrabel, após um grande trabalho de reparação durante a noite, a maioria das linhas estava em operação neste sábado. Na França, foram registadas ondas superiores a nove metros na Bretanha (Oeste) e rajadas de vento que atingiram 176 km/h no Cabo Gris-Nez (Norte).

Embora as mudanças climáticas reforcem e multipliquem eventos extremos, não é tão claro para ciclones extratropicais, cujo número varia muito de um ano para outro. O último relatório dos especialistas em clima da ONU (IPCC) divulgado em agosto estimou, com um grau de certeza muito baixo, que pode ter havido um aumento no número de tempestades extratropicais no Hemisfério Norte desde a década de 1980.

Anúncios