Anúncios

Neve em São José dos Ausentes em 20 de agosto do ano passado | Nilson Wolff/Arquivo

As saídas dos modelos da tardes deste domingo mantiveram o indicativo de neve para o Sul do Brasil neste começo de semana. Todos os modelos analisados indicam a chance de nevar, mas as simulações computadorizadas apresentam distintos cenários de ocorrência do fenômeno. Pouca alteração houve em relação ao que cada modelo vinha indicando com a maioria concentrando a neve numa faixa entre a região de São José dos Ausentes (RS) e Palmas (PR).

Inicialmente, o modelo norte-americano é o que mais prevê neve para esta segunda-feira e a terça no Sul do Brasil. O GFS concentra a neve principalmente no Planalto Sul de Santa Catarina e em áreas entre o Meio-Oeste catarinense e a região de Palmas, no Sul do Paraná. Indica alguma chance de nevar em áreas mais ao Norte dos Campos de Cima da Serra do Rio Grande do Sul.


O modelo alemão Icon traça um cenário de neve muito parecido com o GFS americano com uma maior probabilidade do fenômeno entre o Planalto Sul Catarinense e a região Sul do Paraná. Chama atenção que indica possibilidade até no Sudoeste do Paraná, mas não aponta neve no Rio Grande do Sul.

O modelo WRF, por ser inicializado com o GFS, tem solução muito semelhante com o modelo norte-americano. Indica uma maior probabilidade de nevar no Planalto Sul de Santa Catarina e em áreas entre o Meio-Oeste catarinense e a região de Palmas, no Sul do Paraná. Indica um chance muito pequena de neve isolada nos Aparados da Serra do Rio Grande do Sul.

Já o modelo canadense é o que mais diverge dos demais, sinalizando tímida queda de neve entre os Campos de Cima da Serra, o Norte da Serra Gaúcha e o Planalto Sul de Santa Catarina, além da região de Soledade.

Todos estes modelos estão disponíveis com exclusividade ao assinante na seção de mapas do site com diversas atualizações diárias para as projeções de neve e outras variáveis como temperatura e geada. 

Como é normal em se tratando de neve, fenômeno de complexa e difícil previsão, não há um consenso sobre quais áreas poderiam ter a precipitação do fenômeno. Isso ocorre em projeções mesmo em regiões com alta incidência de neve como os Estados Unidos e a Europa durante o inverno. Dependendo do modelo, os cenários podem ser muito distintos para uma região.

Conforme a avaliação da MetSul a partir dos modelos e outros dados analisados, há uma possibilidade de nevar nos três estados do Sul do Brasil entre esta segunda e a terça-feira. Mesmo no começo da quarta ainda não se pode afastar o fenômeno.


A avaliação da MetSul é que a chance de nevar é maior numa faixa que vai dos Campos de Cima da Serra do Rio Grande do Sul até o Sul do Paraná (Planalto de Palmas), passando pelo Planalto Sul Catarinense e áreas do Centro-Norte catarinense, alcançando parte do Meio-Oeste de Santa Catarina.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Dada a potência desta massa de ar frio e o cenário sinótico, em que a neve se daria com o ar gelado interagindo com o ramo frontal no Sul do Brasil no momento inicial e depois por circulação ciclônica, não se pode afastar a ocorrência de neve – com menor chance – e/ou chuva congelada em áreas de altitude do Norte do Rio Grande do Sul (Planalto e Alto Uruguai) e do Nordeste do Rio Grande do Sul (Serra Gaúcha), na Serra do Sudeste, no Leste catarinense, Meio-Oeste de Santa Catarina e talvez até do Sudoeste do Paraná.

Anúncios