Anúncios

O fim de semana no Rio Grande do Sul, apesar do calor e da ausência de chuva em vários pontos, registrou tempo severo localizado. Já na noite de sexta-feira houve temporais de vento e granizo. Em Frederico Westphalen, a ventania atingiu 113 km/h e houve queda de árvores. Granizo provocou danos em localizadas do Alto Uruguai. No sábado, temporal de chuva forte e vento atingiu Santa Cruz do Sul e deixou pelo menos quatro casas destelhadas na área urbana. Em uma propriedade rural, estufa de flores de 700 metros quadrados veio abaixo com as rajadas de vento, comprometendo cerca de 6 mil vasos.



Vendaval derrubou árvores em Frederico Westphalen (Rádio Luz e Alegria)


Vento derrubou estufa em Santa Cruz do Sul (Lula Helfer / Gazeta do Sul)


O risco mais alto de tempo severo ocorre hoje, quando profundo centro de baixa pressão avança do Norte da Argentina para o Sul do Estado e o Uruguai, o que instabilizar muito a atmosfera. Todas regiões do Estado estarão sob risco de temporais nesta segunda-feira com possibilidade de vendavais e granizo, além de chuva localmente forte a torrencial com trovoadas. Alerta-se para a possibilidade de que alguns temporais possam ser fortes a severos com potencial de danos localizados. A pressão atmosférica despenca entre hoje e amanhã e pode chegar a valores tão baixos como 995 hPa na região de Porto Alegre e a 990 hPa no Sul gaúcho.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

O centro de baixa pressão dará origem a ciclone extratropical intenso na costa uruguaia e que trará fortes rajadas de vento por várias horas seguidas amanhã, sobretudo no Sul e no Leste do Estado, além da costa uruguaia. No Uruguai e no Litoral Sul gaúcho, o vento pode superar 100 km/h em alguns pontos nesta terça-feira. A ventania deve trazer transtornos como problemas para a rede elétrica. No Uruguai, os departamentos mais atingidos devem ser os costeiros (Montevidéu, Canelones, Colonia, Maldonado e Rocha). Preocupa ainda o indicativo de vários modelos de chuva em volumes muito altos nos últimos dias do mês no Rio Grande do Sul, o que pode gerar cheias de rios e até enchentes.

Anúncios