Anúncios

Pelotas – Daniel Ramalho Ribeiro

A MetSul Meteorologia antecipou aqui ontem que a quarta-feira teria uma boa notícia, a chuva pela estiagem, mas também uma má, a ocorrência de temporais – alguns fortes – na chegada da chuva. E foi o que se deu no Estado ontem.

Alegrete – Alberto Giuliani Neto/Porteira Adentro.

Caçapava do Sul – Nauan Benedet

Nova Esperança do Sul – Rafael Pieszak

O avanço de frente fria numa atmosfera muito aquecida formou nuvens bastante carregadas que trouxeram chuva em todas as regiões, mas com a irregularidade que se antecipava. Muita água em algumas localidades e pouca em outras. A maioria dos municípios teve  entre 10 mm e 30 mm com marcas de 50 mm a 80 mm em pontos do Centro, Norte e do Oeste gaúcho. No começo do dia seguia chovendo, especialmente em cidades da Metade Norte, o que trará acumulados mais altos no balanço a ser feito nesta quinta.

Uruguaiana – Rádio Charrua

Já os temporais trouxeram estragos pelo vento. No interior, Uruguaiana teve vendaval que causou destelhamentos e colapso de estruturas.

Porto Alegre – Thomas Adamski

Em Porto Alegre, o temporal das 17h afetou mais bairros do Centro-Sul da cidade com queda de árvores, postes, danos em automóveis e destelhamentos.


Na zona Norte, no aeroporto, onde a instabilidade não foi forte, as rajadas passaram de 70 km/h. Nas áreas mais afetadas de bairros como Praia de Belas, Menino Deus, Santa Tereza e outros de parte da zona Sul da Capital é certo que as rajadas ficaram perto ou acima dos 100 km/h, conforme o ponto.

No final da quarta-feira,  conforme a CEEE, 200 mil clientes estavam sem energia em Porto Alegre, especialmente no Sul da cidade. O número é altíssimo e equivale a quase 800 mil pessoas.

Anúncios