Anúncios

A capital do Paraguai vive uma quinta-feira caótica. Assunção ficou inundada com chuva torrencial que até o começo desta tarde já somava 110 milímetros. Carros chegaram a ser arrastados pelas correntezas nas ruas. Há milhares sem energia elétrica nas áreas atingidas pelo mau tenmpo no Centro e no Sul do Paraguai. Uma pessoa morreu e outra está desaparecida.



Chegada do temporal à capital paraguaia por Alberto Paz Chamorro


Imagens dos alagamentos na capital paraguaia via Twitter

Um sistema convectivo de mesoescala se formou durante a madrugada na região Norte da Argentina e avançou para o Paraguai, trajetória favorecida pela presença de uma área de baixa pressão na região. Tradicionalmente, este tipo de sistema perde força durante o dia e tem sua intensidade máxima à noite, quando em regra se forma, mas no caso de hoje manteve sua enorme intensidade no Paraguai.


Fortes áreas de instabilidade associadas ao ingresso de ar quente e úmido já tinham sido registradas na tarde de ontem no Centro da Argentina. Em Leones, província de Córdoba, o céu ficou coberto por espetaculares nuvens Mammatus como raramente se observa no Cone Sul (foto de David/Gustfront). Existe a suspeita que um tornado tenha atingido o Sul da cidade de Córdoba pelos graves danos observados em área restrita.



Os eventos de tempo severo nos países vizinhos evidenciam a mudança de padrão que no dia de ontem alertava aqui. O canal de umidade primário da América do Sul, que nesta época do ano costuma atuar mais no Centro-Oeste e no Sudeste do Brasil, o que faz com que estados do Sudeste tenham muita chuva e inundações no verão, gradualmente muda de posição neste fim de novembro e na primeira metade de dezembro. Com isso, aumenta muito a chuva e a frequência de tempestades (chuva forte, vendavais e granizo) no Paraguai, Centro e Norte da Argentina, Uruguai e Sul do Brasil nas próximas duas a três semanas. Já choveu hoje no Oeste, entretanto instabilidade se espera no Rio Grande do Sul entre amanhã e sábado. No domingo, ainda poderão ocorrer pancadas de chuva na Metade Norte. E no começo da próxima semana um novo sistema de escala sinótica voltaria a trazer chuva mais ampla para o Estado com risco de temporais isolados.

Anúncios