Anúncios

O tempo muito seco deteriora a qualidade do ar em grandes cidades brasileiras. O julho mais seco em 66 anos provoca, por exemplo, uma significativa piora da qualidade do ar na área metropolitana de Porto Alegre. Na terça-feira, das cinco estações de monitoramento mantidas pela Fepam na Grande Porto Alegre, somente uma apresentou qualidade do ar boa (Índice de Qualidade do Ar ou IQAr de 0 a 49), em Triunfo. Três apresentaram IQAr regular (50 a 99): Canoas, Charqueadas e Esteio. A estação de Guaíba anotou um IQAr na média de 24 horas de 122, ou seja, qualidade do ar inadequada (IQAr entre 100 e 199).


Ontem, boletim da Fepam reportou a melhora das condições do ar nas estações da Grande Porto Alegre, mas em Charqueadas o IQAr foi de 61 (regular). O tempo seco com chuva escassa dificulta a dispersão de poluentes, como material particulado, aqui na área metropolitana. Não há previsão de chuva para a região nos próximos dias com a manutenção dos dias de sol e temperatura elevada no período da tarde, o que deve levar a novas medições de qualidade do ar apenas regular a ocasionalmente inadequada, como visto na terça-feira em Guaíba. O tempo seco deteriorou a qualidade do ar também em São Paulo e região (foto de Rafael Neddermeyer). Ontem, no fim da tarde, metade das estações da CETESB indicava qualidade apenas regular na capital paulista e com índice ruim na área de Guarulhos.


Anúncios