Anúncios

 

Carros submersos em estacionamento do lado de fora de um shopping center na capital de Omã, Mascate. O mau tempo tem afetado países ao redor do Golfo com vários avisos meteorológicos emitidos de mau tempo e inundações. | MOHAMMED MAHJOUB/AFP/METSUL METEOROLOGIA

O Sul do Brasil amarga uma seca descrita como “terrível” por agricultores com rios secando e lavouras sendo dizimadas pela alta temperatura, falta de chuva e umidade do ar muito baixa. No outro lado do mundo, regiões conhecidas pelo seu clima árido e desértico, ao contrário, têm um começo de ano marcado por inundações e enchentes.


Os países do Golfo Pérsico e da península arábica costumam ter invernos bastante amenos, com exceção de raros e breves períodos de chuva forte entre novembro e janeiro. O começo de 2022 trouxe volumes muito altos de chuva para a região, em alguns locais equivalentes às médias de vários meses, e ainda tempestades de vento, granizo, tornado e mesmo neve em locais de maior altitude do reinos saudita.

Nos Emirados Árabes Unidos, chuvas fortes caíram em todo o país, principalmente em Dubai e Abu Dhabi. A Emirates News Agency (WAM) informou que o mau tempo deve continuar até quinta-feira. A chuva volumosa foi agravada com a semeadura de nuvens, técnica utilizada pelas autoridades locais para aumentar a quantidade de chuva que costuma ser escassa. Em Sharjah, pedestres e carros ficaram presos na água e na lama, e as autoridades não relataram nenhuma vítima


Na Arábia Saudita, chuva forte, neve e tornado. O clima invernal chegou à cidade de Tabuk, no Noroeste saudita, no dia de Ano Novo, deixando a região coberta de neve após uma grande queda na temperatura durante a noite. O pico do Jabal Al Lawz foi completamente coberto de branco com a nevada que teve início ainda na madrugada de sábado.

Jabal Al Lawz está entre uma cadeia de montanhas localizada no Noroeste da Arábia Saudita, perto da fronteira com a Jordânia, na região de Tabuk, cerca de 200 quilômetros a Noroeste da cidade de Tabuk, e é chamada de Jabal Al Lawz por causa das amendoeiras nela. A neve cobriu partes das cidades do Norte do reino saudita no ano passado. A última vez que a Arábia Saudita experimentou tanta neve foi em 2018.

Se por um lado a forte instabilidade trouxe neve e granizo em locais de maior altitude do Norte do país, fortes tempestades com chuva e vento varreram as regiões desérticos da Arábia Saudita. Em uma das imagens mais impressionantes, um grande tornado foi filmado na área de Ha´il.

No Kuwait, as autoridades anunciaram que as enchentes foram causadas por fortes chuvas que começaram na virada do ano e levaram à destruição de carros e à inundação de várias casas, em meio a alertas civis e de segurança, informou a Kuwait News Agency (KUNA). O Ministério da Educação do Kuwait anunciou a suspensão das aulas e exames em todas as escolas públicas e privadas “devido às condições meteorológicas que o país atravessa”.

O Ministério do Interior do Kuwait anunciou o fechamento temporário de algumas estradas principais e secundárias devido à onda de instabilidade com muita chuva que o país do Golfo está testemunhando, com o consequente acúmulo de água em algumas áreas.

Enquanto isso, o Corpo de Bombeiros do Kuwait disse que suas equipes responderam a 103 pedidos de ajuda e resgataram 106 pessoas que ficaram presas em estradas inundadas e em casas após o aguaceiro noturno. Cidadãos e residentes do Kuwait foram orientados a ficar em casa em meio ao clima tempestuoso no domingo, enquanto o exército ajudava a limpar estradas inundadas e outras áreas.

No Catar, as autoridades pediram aos moradores que tenham cautela e anunciaram que esperam tempestades e ventos fortes em várias áreas até a metade desta semana. Um vídeo que circulou nas redes sociais do país mostrando fortes chuvas nos arredores da cidade de Al Khor se tornou viral no Catar. O Departamento de Meteorologia do Qatar disse que este mês trará chuva com nevoeiro frequente, especialmente na primeira quinzena.

Em Omã, inundações causadas por chuvas torrenciais que começaram na véspera de Ano Novo mataram seis pessoas e deixaram várias cidades totalmente isoladas. O capitão Munir bin Mohammad Al Sinan, do Departamento de Relações Públicas da Polícia Real de Omã, disse durante uma entrevista à Oman Television que pelo menos seis pessoas morreram devido às fortes chuvas causadas pela depressão atmosférica no Golfo de Omã.

A Oman Television mostrou carros boiando nas ruas em meio às torrentes violentas de vales inundados, enquanto seus proprietários tentavam desesperadamente rebocá-los. O escritório meteorológico disse que chuvas moderadas a fortes iriam continuar até 5 de janeiro e alertou o público para evitar vales de desertos e áreas baixas.

Em Bahrain, o ano começou com muitas áreas residenciais inacessíveis após fortes chuvas noturnas por várias horas na noite de sábado e no início da manhã de domingo. Trabalhadores do Ministério de Obras, Assuntos Municipais e Planejamento Urbano do Bahrein bombearam água das áreas inundadas, enquanto alguns residentes retiraram água de suas próprias casas e instalações. O padrão de tempi instável deve permanecer nos próximos dias, de acordo com o Bahrain Meteorological Directorate.

No Irã, pelo menos oito pessoas morreram em enchentes no sul do país devido às fortes chuvas que devem durar até o final desta semana, informou a mídia estatal. Cinco das mortes ocorreram na província de Fars, disse Rahim Azadi, oficial de gerenciamento de crise local, à agência de notícias estatal. As fortes chuvas danificaram “a agricultura, a infraestrutura e as habitações urbanas e rurais”, disse Azadi.

O Crescente Vermelho do Irã forneceu “acomodações de emergência para mais de 3.000 pessoas, e mais de 20.000 receberam ajuda humanitária”, disse seu chefe de operações de resgate e emergência, Mehdi Valipour, à televisão estatal.

Anúncios