Anúncios

Pegadas de dinossauros de cerca de 113 milhões de anos atrás era vistas ontem no Texas State Park após uma severa seca que secou um rio. Grande parte do Sul e do Sudoeste dos Estados Unidos enfrenta prolongada e severa seca que atinge vários estados | DINOSAUR VALLEY STATE PARK/AFP/METSUL METEOROLOGIA

A seca no estado norte-americano do Texas secou o leito de um rio que atravessa o Parque Estadual do Vale dos Dinossauros e revelou pegadas de répteis gigantes que viveram há 113 milhões de anos, anunciou um funcionário do parque. Imagens divulgadas mostram pegadas de três dedos que descem pelo leito de um rio seco.

Trata-se de “um dos mais longos conjuntos de pegadas de dinossauros do mundo”, diz o comunicado. Stephanie Salinas Garcia, do Departamento de Parques e Vida Selvagem do Texas, explicou que o clima seco os tornou visíveis:


“Devido às condições excessivas de seca no verão, o rio secou completamente na maioria dos lugares, permitindo que mais pegadas fossem descobertas no parque. Em condições normais do rio, essas pegadas novas ficam sob a água e geralmente estão cobertas por sedimentos”, disse.

A maioria das pegadas recém-reveladas corresponde ao Acrocanthosaurus, de 6.350 kg quando adulto e cerca de 4,5 metros de altura. Outro dinossauro, o Sauroposeidon, também passeou pelo parque. Ele tinha 18 metros de altura e pesava 44 toneladas.


Localizado a Sudoeste da cidade de Dallas, que enfrentou chuva extrema no começo da semana, o parque fica à beira de um antigo oceano e os dinossauros deixavam suas pegadas na lama, segundo o site do local.

O retorno da chuva deverá fazer com que as pegadas voltem a ficar cobertas. “Embora em breve elas vão ser novamente enterradas pela chuva e pelo rio, o Parque Estadual do Vale dos Dinossauros continuará protegendo essas pegadas de 113 milhões de anos, não apenas para esta geração, mas também para as gerações futuras”, ressaltou Stephanie.

Anúncios