Anúncios

Daniel Caselani

O Rio Grande do Sul teve o fevereiro com o segundo maior número de focos de calor de incêndios em vegetação detectados por satélites desde que se iniciaram as medições em 1999 pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

Fevereiro teve 89 focos de calor detectados pelo Inpe, perdendo apenas para 2004 que registrou 103, o recorde da série histórica para fevereiro no Rio Grande do Sul e que também ocorreu sob estiagem. A média histórica de focos de calor no mês no Estado é de 43. 

O risco de fogo em vegetação está alto a muito alto no Rio Grande do Sul, particularmente na Metade Sul gaúcha, onde os volumes de chuva foram escassos na última semana de fevereiro, o que tem favorecido muitos focos de fogo e incêndios.

Ao longo da semana, o risco seguirá alto a isoladamente muito alto com tendência de agravamento na segunda metade da semana. No próximo fim de semana, com intenso calor, a probabilidade de fogo em vegetação estará bastante alta e isoladamente até extrema pelo intenso calor se somando ao tempo seco de muitos dias seguidos. 

 

Anúncios