Anúncios

Destruição por vendaval ontem à tarde na área rural de Bom Retiro do Sul | Fernando Velho

Novos temporais podem atingir o Rio Grande do Sul entre esta segunda e a quarta-feira por conta em um primeiro momento de uma massa de ar quente, úmido e instável. Na quarta, uma frente fria deve cruzar pelo estado gaúcho com instabilidade mais generalizada. O risco de temporais é para pontos isolados, assim como já se viu durante o domingo, não atingindo todos os municípios.

Com a atmosfera aquecida pela massa de ar quente que cobre o Centro da América do Sul e o aumento da umidade, o cenário se torna favorável à formação rápida de nuvens de grande desenvolvimento vertical em alguns locais e que geram tempo severo.


Com isso, pontos isolados podem ter ocorrências de granizo e vendavais, alguns fortes e com potencial de danos. Estes temporais são ainda capazes de despejar volumes muito altos de chuva em áreas localizadas em curto período com alagamentos e inundações repentinas.

Somente a curto prazo é possível afirmar que um determinado município será atingido por tempestade. Horas ou dias antes, apenas é possível se antecipar que uma região tem risco de tempo severo. É virtualmente impossível dizer dias antes que uma certa localidade terá forte temporal porque são ocorrências isoladas que, em alguns casos, atingem apenas parte de um município.


Foi o que se viu durante o fim de semana. No primeiro dia do ano, áreas de instabilidade que avançaram do Uruguai trouxeram rajadas de vento de 93 km/h em Quaraí, 91 km/h em Livramento e 78 km/h em Dom Pedrito. Ontem, temporais com vento forte e granizo atingiram os vales e a Grande Porto Alegre com mais de 120 mil clientes de empresas de energia sem luz. De acordo com o grupo CEEE Equatorial, trechos das cidades de Porto Alegre, Alvorada, São Jerônimo, Bagé e Camaquã tiveram a energia interrompida.

O vento chegou a 103 km/h durante o temporal da tarde do domingo na estação do Instituto Nacional de Meteorologia em Rio Pardo. No Vale do Taquari, especialmente no município de Bom Retiro do Sul, os estragos foram maiores. O vendaval derrubou árvores e destruiu galpões na área rural do município.

Em Porto Alegre, o temporal que se abateu sobre a cidade por volta das 16h do domingo veio com chuva forte em alguns bairros e ventania de 81 km/h no Aeroporto Salgado Filho. O Centro da Capital foi a área da cidade em que mais choveu com 24 mm, volume equivalente a quase um quarto da média mensal de janeiro e que se precipitou em menos de uma hora.

O calor muito intenso contribui fortemente para a ocorrência de temporais fortes a severos. Ontem, o dia foi escaldante com marcas máximas espantosas e recordes na região da Serra.

A temperatura atingiu 42,1ºC em Feliz, 41,1ºC em Campo Bom, 41,0ºC em Porto Xavier, 40,6ºC em Santa Rosa, 40,5ºC em Parobé e Taquara, 40,3ºC em Lajeado, 40,2ºC em Alpestre, 39,8ºC em Teutônia e São Vendelino, 39,7ºC em Rio Pardo, 39,1ºC em São Leopoldo, 39,0ºC em Porto Vera Cruz, 38,5ºC em Westfália, 38,2ºC em Espumoso e 38,0ºC em Novo Hamburgo.

Fez ainda 37,8ºC em Canoas, 37,7ºC em Cachoeira do Sul, 37,6ºC em São Luiz Gonzaga, 37,3ºC em Bossoroca, 37,2ºC em Dona Francisca, 37,1ºC em Frederico Westphalen e Santa Maria, e 37,0ºC em Porto Alegre.

Hoje, o risco de temporais isolados no Rio Grande do Sul persiste, mas é menor do que ontem pela elevação menor da temperatura. Na terça, contudo, a possibilidade de tempestades em pontos isolados volta a aumentar no território gaúcho. Santa Catarina e Paraná igualmente têm possibilidade de temporais em setores localizados durante a primeira metade desta semana.

Anúncios