Anúncios

Dois efeitos da incursão de ar frio desta semana. Temperatura baixa no Sul e chuva em volumes excessivos no Sudeste do Brasil. O ar frio tomou conta do Estado hoje com mínimas no começo da manhã de apenas 11,3ºC em Pinheiro Machado, 12,6ºC em Jaguarão, 12,7ºC em Bagé, 12,8ºC em Canguçu e 13,1ºC em Livramento. Na Argentina, Ezeiza baixou a só 7,8°C. No interior da província de Buenos Aires, alguns pontos tiveram 0ºC e geada. Mar del Plata, maior balneário argentino, registrou 4,7°C. As madrugadas de hoje até quinta vão ter temperatura baixa aqui no Sul do Brasil com tendência de aquecimento mais para o final da semana. A massa de ar frio traz ainda para o Rio Grande do Sul uma sequência de dias de tempo seco.

Por outro lado, favorecerá muita chuva em parte do Sudeste do Brasil. Sempre que uma massa de ar mais frio avança sobre o oceano na altura do Sul do Brasil nesta época do ano surge o risco de chuva excessiva a extrema em áreas costeiras de São Paulo e do Rio de Janeiro. Isso porque a circulação de vento carregado de umidade do mar para o continente acaba por induzir chuva orográfica, associada ao relevo. A unidade que sopra do oceano ao encontrar a barreira física dos morros da Serra do Mar ascende com o vento e ao se resfriar em altitude acaba por se transformar em chuva, comumente intensa.



A MetSul alerta que, com o avanço de uma massa de ar frio de forte intensidade pela costa do Sul do Brasil, será alto o risco entre essa terça e a quinta de chuva excessiva nos litorais de São Paulo (principalmente Norte) e do Rio de Janeiro. Também a região serrana do Rio têm risco de chuva volumosa. Como é uma área de relevo acidentado e muito sujeito a deslizamentos, o quadro exige atenção. O mapa acima mostra a projeção de chuva para essa semana no Sudeste do Brasil, de acordo com o modelo canadense, indicando chuva muito volumosa entre os litorais paulista (mais o Norte) e fluminense.

Anúncios