Anúncios

Douglas Becker/Arquivo

O Rio Grande do Sul teve uma quarta-feira escaldante com marcas históricas de calor para o mês de novembro em diversas estações meteorológicas. A temperatura máxima na estação do Instituto Nacional de Meteorologia em São Luiz Gonzaga, nas Missões, chegou a 40,6ºC. Já na estação do órgão federal em São Borja a máxima foi de 40,5ºC.

A maior temperatura máxima observada no Estado, entretanto, se deu na estação automática particular de Santa Rosa, no Noroeste, onde os termômetros indicaram 41,3ºC. A marca é a maior na estação desde os 42,9ºC de 9 de fevereiro de 2014. A máxima na estação governamental do município foi de 39,9ºC.


Grande parte do Estado teve máximas hoje superiores aos 35ºC. No Centro gaúcho, os termômetros indicaram 37,0ºC em Tupanciretã, 37,5ºC em São Vicente do Sul e 38,3ºC em Santa Maria. No Alto Jacuí, Cruz Alta foi a 37,9ºC e Ibirubá 37,6ºC. No Vale do Rio Pardo, a máxima foi de 38,7ºC em Rio Pardo. No Vale do Taquari, os termômetros indicaram 39,3ºC em Lajeado e 39,8ºC em Teutônia. No Sul gaúcho, a máxima bateu em 38ºC no aeroporto de Pelotas.


A tendência é que o tempo siga quente e muito abafado nos próximos dias no Rio Grande do Sul, mas sem os extremos de calor de hoje. A chuva será freqüente no Estado até o começo da próxima semana com alto risco de temporais isolados de vento forte e queda de granizo. Os acumulados de chuva devem ser altos em algumas regiões com marcas superiores a 100 mm, mas a distribuição das precipitações será irregular. Justamente o ar quente e úmido favorecerá a chuva e os temporais.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Anúncios