Anúncios

Porto Alegre e grande parte do Rio Grande do Sul (parte do Litoral Norte ainda tem chuva) começaram esta quarta com muito sol, mas sob frio de inverno. As mínimas foram de 2,2ºC em Santana do Livramento e 2,3ºC em Santa Rosa, mas com tempo aberto e céu limpo a madrugada desta quinta terá marcas ainda menores na maioria das regiões com chance de mínimas negativas nas áreas de baixadas da Metade Norte. Ainda com sol. Até ontem, contudo, as reclamações eram generalizadas pela sequência de muitos dias de chuva e temperatura baixa. Foi uma terça-feira horrorosa para o conjunto da população, sobretudo na Metade Leste do Estado, com ventania, frio intenso e bastante chuva. Porto Alegre, que teve alagamentos, registrou só entre segunda e ontem chuva perto de 50 mm em alguns bairros. Em Mostardas, apenas entre a noite de segunda e a tarde de ontem a chuva somou 98 mm. Em Pelotas, a chuva acumulada em 24h até 9h de ontem foi de 54 mm e nas últimas 24h até às 9h de hoje caíram mais 6 mm. Já na Serra do Sudeste, as precipitações variaram entre 70 mm e 90 mm.



Porto Alegre teve uma terça-feira de primavera com frio intenso, muita chuva e vento forte – Tarsila Pereira/CP


Chuva da terça-feira, que foi por vezes forte, provocou alguns alagamentos nas ruas de Porto Alegre – Paulo Nunes

No Rio Grande do Sul, como se esperava, não nevou por falta de frio intenso o suficiente para o fenômeno. Flocos, porém, foram observados em São Joaquim (foto abaixo do portal São Joaquim Online) e ainda no Morro da Igreja, no Planalto Sul Catarinense. Não foi um evento de neve significativo, com precipitações fracas, mas relevante do ponto de vista histórico. Apenas a segunda vez no século que nevou na primavera e pelo segundo ano seguido. A neve rala foi favorecida pela circulação de umidade de baixa pressão na costa interagindo com ar gelado de massa de ar polar de trajetória continental.


O que ocorre agora aqui repete padrão observado no Hemisfério Norte no período entre o inverno e a primavera deste ano. A transição de estações teve frio tardio e intenso e em vários países a primavera demorou 20 a 30 dias para se estabelecer no clima com neve e fortes erupções de ar ártico. A temperatura média da primavera no Reino Unido (O Met Office considera trimestre março, abril e maio para a estação) foi de 6ºC, o que fez da primavera deste ano a quinta mais fria desde o início dos registros nacionais em 1910 e a mais fria primavera desde 1962. O principal motivo para a estação muito fria neste ano no Reino Unido foi o mês de mês que teve média de 2,2ºC, valor 3,3ºC abaixo da média. Foi o março mais frio desde 1962.


Na série histórica de temperatura da Inglaterra Central (Central England Temperature ou CET), uma das mais interessantes do mundo pela sua duração muito longeva, a primavera foi a mais fria desde o ano de 1891. A temperatura média observada foi de 6,8ºC, a 31ª menor desde o começo dos registros em 1659 e 2ºC mais fria que a média da série 1981-2010. Março, na série da CET, foi o mais frio desde 1892 e tanto abril como maio tiveram marcas menores que os padrões históricos da área.


Na Alemanha, o Serviço Meteorológico Alemão (DWD) informou que março foi o segundo mais frio em meio século, apenas atrás de 1987, exatamente o contrário de março de 2012 que foi o terceiro mais quente da série histórica. Nacionalmente, a média de temperatura de março na Alemanha foi 4,1ºC inferior à normal 1981-2010 com frio e neve persistentes.  Quantidade tão abundante de neve em Berlim nos últimos 10 dias de março não era vista desde 1892. Na vizinha Áustria, dias com máximas abaixo de zero não raros depois de 20 de março nas principais cidades do país, mas o serviço de Meteorologia austríaco informou que várias cidades bateram seus recordes de máximas negativas tardias neste ano. Em Viena, a máxima de -1,7ºC em 25 de março bateu o recorde de máxima negativa mais tardia anterior de -1,2ºC em 23 de março do ano 1958.


Na América do Norte, algumas áreas do Canadá experimentaram a primavera mais fria em 113 anos, muito em razão do começo da estação que foi gelado. Nos Estados Unidos, de acordo com o NOAA, foi a primavera mais fria desde 1996 na média de temperatura dos 48 estados continentais. Em nada menos que 14 estados, segundo balanço do NOAA, a primavera deste ano foi uma das dez mais frias já registradas desde o início dos registros em 1895.



Entre as causas principais do inverno que tardou em ir embora e uma primavera com eventos de chuva excessiva no Centro-Leste dos Estados Unidos e na Europa estiveram oscilações intrasazonais, como a NAO (Oscilação do Atlântico Norte) e a AO (Oscilação do Ártico). Elas estiveram em valores muito negativos no final do inverno e no começo da primavera. Os valores muito negativos acompanharam uma mudança nos padrões das correntes de jato (vento em altos níveis da atmosfera), enfraquecendo o gradiente de pressão atmosférica sobre o Atlântico Norte. A circulação do vento em torno de uma área de alta pressão persistente sobre a Escandinávia fez com que ao ar gelado do Norte avançasse com força para a Alemanha, Inglaterra e vários outros países da Europa Ocidental. Este mesmo padrão de oscilação intrasazonal com valores muito negativos se repete agora no Hemisfério Sul, o que sugere que nossa primavera aqui, especialmente nos seus primeiros 30 dias, ainda terá muitos dias com chuva, até volumosa, e uma maior frequência de dias frios. O inverno só terminou, na prática, no calendário ! Ainda não guarde as suas roupas invernais e mantenha o guarda-chuva preparado !

Anúncios