Anúncios

São Francisco do Sul (SC) está em emergência desde ontem pelo grande incêndio químico que atinge depósito que armazena 10 mil toneladas de nitrato de amônia, cuja oxidação produz fumaça densa, que se respirada causa irritação na pele, olhos e vias respiratórias, segundo técnicos especialistas em produtos químicos e tóxicos. A Defesa Civil de Santa Catarina estabeleceu perímetro de segurança de 800 metros de raio a partir do local do incêndio na cidade do Nordeste catarinense.



Mais de 200 bombeiros trabalhavam no combate ao sinistro até a noite de ontem. O nitrato de amônia não é inflamável, mas oxidante. Por isso, o incêndio não produz chamas. O objetivo é resfriar o produto. Dois bombeiros precisaram atendimento médico. O incêndio começou entre 22h e 23h da noite de terça-feira. Nas primeiras horas do incêndio, a população assustada começou a deixar a cidade com medo. O acesso ao município foi bloqueado (fotos de James Tavares do governo catarinense).


Imagens de satélite conseguiram registrar na tarde de ontem a enorme coluna de fumaça do incêndio de fertilizantes de São Francisco do Sul. Na imagem, a fumaça pode ser vista avançando junto à costa para Norte, devido à direção do vento, alcançando até a região de Guaratuba e da baía de Guaratiba, no Litoral Sul Paraná. Fumaça de queimadas é comum se ver em imagens de satélite aqui no país, mas esta é a primeira vez que a MetSul Meteorologia observa fumaça de incêndio não natural (industrial/químico) no Brasil em imagem de satélite, o que evidencia a gravidade e dimensão do sinistro catarinense.


Em outras partes do mundo, também é raro se observar por satélite fumaça de incêndios que não sejam florestais ou de queimadas. Um episódio de grandes proporções ocorreu em dezembro de 2005 no Sul da Inglaterra. Incêndio enorme atingiu durante vários dias consecutivos o terminal de depósito de petróleo localizado em Hertfordshire, em episódio conhecido como “Buncefield Fire”. A fumaça negra cobriu o Sul da Inglaterra, alcançou até Londres e podia ser vista nas imagens de satélite.  


A fumaça continuava a ser expelida com força nesta manhã de quinta-feira no armazém de fertilizantes em São Francisco do Sul. A tendência, segundo os dados analisados pela MetSul, é que o vento em superfície (a 10 metros) na região continue a soprar hoje entre Sul e Sudeste com fraca intensidade, apresentando velocidade média de 10 km/h a 20 km/h. Ocorre que a fumaça se estende por uma extensa área e alcança o Litoral Sul do Paraná, por isso a dispersão dependerá de vento também em níveis baixos da atmosfera na região. Nesse sentido, a MetSul Meteorologia processou uma rodada especial com modelo de trajetória e dispersão atmosférica do NOAA, centralizando em São Francisco de Sul, que indica uma tendência da fumaça nas próximas 24 horas avançar para Norte e depois Oeste. Atenção que a densidade da fumaça química é maior só nas proximidades de São Francisco do Sul e que em longas distâncias há dispersão e ela tende a se tornar quase imperceptível.


O tempo deve seguir bom hoje e amanhã em São Francisco do Sul com sol e nuvens, esperando-se maior quantidade de nuvens amanhã. O tempo se instabiliza na cidade durante o sábado com alta probabilidade de chuva. A temperatura não muda muito e segue em valores agradáveis até amanhã com sensação de frio no período noturno. (Colaborou Alexandre Aguiar)

Anúncios