Anúncios

O Rio Grande do Sul deve concentrar os maiores volumes de chuva no Centro-Sul do Brasil nos próximos sete dias, mostram várias simulações computadorizadas analisadas pela MetSul. À medida que chega ao fim a estação chuvosa e começa a se instalar gradualmente o período mais seco do ano no Centro do Brasil, os acumulados de chuva diminuem em estados do Sudeste e do Centro-Oeste brasileiro.


O mapa acima mostra a projeção de chuva para sete dias do modelo meteorológico alemão Icon, disponível ao assinante na seção de mapas. Os dados são da rodada da 0Z desta sexta-feira e que ingressaram na madrugada de hoje.

Um padrão de bloqueio atmosférico com uma grande massa de ar seco e quente sobre o Brasil vai favorecer a ocorrência de chuva frequente na próxima semana na Metade Sul gaúcha com os maiores acumulados de precipitação mais ao extremo Sul.


Com os volumes de chuva previstos entre hoje e amanhã somados ao da próxima semana, os acumulados em parte do território gaúcho acabam sendo elevados em parte do território gaúcho na soma de sete dias.

Em Santa Catarina e no Paraná, a maior parte da chuva indicada para os sete dias é que se projeta vai cair entre hoje e amanhã. Os maiores volumes devem ser dar no Oeste e no Meio-Oeste catarinense, além do Sudoeste e do Sul paranaense.

No Centro-Oeste do Brasil, a instabilidade deve se concentrar neste fim de semana com chuva no Mato Grosso do Sul e no Mato Grosso, mas que será irregular e não deve ter altos volumes na maioria das áreas. Na próxima semana, o tempo seco predomina sob uma massa de ar quente e seco.

Na Região Sudeste, a frente fria pode induzir instabilidade em alguns pontos como o Oeste e o Sul do estado de São Paulo neste fim de semana, mas a maior parte da região seguirá com o tempo firme. Na semana que vem, o sol vai predominar com muitos dias de tempo firme e elevação da temperatura que vai trazer tardes de temperatura alta para o fim de abril.

Anúncios