Anúncios

A tendência de chuva para os próximos sete dias é de que o canal primário de umidade da América do Sul concentre-se entre o Centro-Oeste e o Sul do Brasil com maior disponibilidade de vapor d’água na atmosfera e, assim, chuva mais frequente e volumosa nestas regiões.

Com o fluxo de umidade da região amazônica, o Centro-Oeste e o Sul do Brasil serão as áreas com mais chuva nos próximos sete dias, apesar de muito variável em volumes de um ponto para o outro.

Os volumes de chuva nos próximos sete dias serão particularmente mais altos em Santa Catarina e, principalmente, no Paraná. 

Devem ser esperados temporais principalmente da tarde para a noite que trazem volumes muito altos em curto período com alagamentos e risco de deslizamentos de terra.

No Sudeste do Brasil, as precipitações tendem a diminuir na maior parte de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo com mais dias de sol e pancadas apenas isoladas de chuva típicas de verão. Em São Paulo, pela maior proximidade com o canal de umidade, espera-se mais chuva e temporais isolados frequentes da tarde pra noite com grandes acumulados de precipitação isoladamente, o que em áreas urbanas como a capital paulista provoca alagamentos e inundações repentinas.

No Sul do Brasil, a Instabilidade aumenta muito neste fim de semana. No Rio Grande do Sul mais no sábado e em Santa Catarina e no Paraná mais no domingo. Os volumes de chuva isoladamente devem ser altos com marcas em alguns municípios perto ou acima de 100 mm. Na próxima semana, a tendência é de a chuva ser frequente nos estados catarinense e paranaense, o que vai determinar altos volumes de chuva no período em diversos municípios dos dois estados. 

O mapa acima do modelo Icon do serviço meteorológico alemão, disponível ao assinante na seção de mapas com quatro atualizações diárias, mostra os volumes de chuva no Centro-Sul do Brasil até quinta-feira da próxima semana. Observe que o modelo chega a projetar acumulados perto ou acima de 200 mm em pontos de Santa Catarina e do Paraná.

Anúncios