Anúncios

O Sul do Brasil, parte da Região Norte e o litoral do Nordeste devem ser as áreas do país com os maiores volumes de chuva nos próximos dez dias. A chuva deve retornar ainda para áreas do Brasil Central após semanas sem um registro sequer de precipitação. O grande destaque será uma frente fria que vai avançar no final deste mês pelo Centro-Sul brasileiro.

O mapa acima mostra a projeção de chuva para dez dias do modelo meteorológico europeu, disponível ao assinante (assine aqui) em nossa seção de mapas. Como se observa no mapa, os mais altos volumes são projetados principalmente em áreas mais ao Norte e ao Sul do Brasil nestes últimos dias de maio e no começo de junho.

A Região Norte ainda está sob o que se denomina de inverno amazônico, período do calendário em que há uma maior concentração das chuvas que vai de dezembro até meados de maio, e que normalmente concentra 60% a 70% da precipitação do ano. Gradualmente, contudo, a chuva começa a diminuir na região e os volumes já não são tão altos quando os observados em março e abril.


Os maiores volumes no Norte do Brasil são previstos para os estados do Amapá, Roraima e o Norte e no Noroeste do Amazonas, onde vão passar de 100 mm em vários pontos com pancadas de origem tropical localmente torrenciais sobre a floresta amazônica.  A chuva deve aumentar no Acre e segue mais escassa no Sul do Pará e Tocantins.

No Nordeste, pancadas de chuva atingem a maior parte da região e os mais altos volumes vão se dar novamente em áreas costeiras, afetando as capitais que se concentram na faixa litorânea. Estas pancadas serão por vezes fortes e se dão intercaladas com momentos de sol. A chuva se concentra principalmente nos litorais e Zona da Mata da Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco. No Maranhão, chove mais na região de São Luís.

No Centro-Oeste, à medida que começa a se instalar a temporada seca gradualmente, os volumes de chuva são baixos ou nulos ou muitas áreas, mas neste fim de maio a tendência é que as precipitações retornem para muitos pontos em que não chove há semanas. Os mais altos acumulados na região devem se dar no Mato Grosso do Sul, entre os dias 29 e 31 de maio, por efeito de uma frente fria.

Tendência semelhante é indicada para o Sudeste em consequência do sistema frontal. A chuva deve retornar para áreas do interior de São Paulo em que não chove desde abril, como cidades do Norte paulista. Espera-se chuva ainda em vários pontos de Minas Gerais, embora de forma muito irregular.

Na cidade de São Paulo, a tendência nos próximos dez dias é de predomínio do tempo firme nesta semana e um período de maior instabilidade com chuva na primeira metade da semana que vem. Na cidade do Rio de Janeiro, a frente fria deve trazer mais chuva entre os dias 29 e 30.

No Sul do Brasil, a tendência é de aumento da chuva neste últimos dias do mês de maio com o avanço de uma frente fria pela região. Um sistema frontal traz instabilidade neste fim de semana e na semana que vem, na virada do mês, se espera outro episódio de instabilidade com frio úmido em vários pontos do Sul do país.

É uma situação ainda carente de confirmação nos próximos dias, mas dados indicam a possibilidade de formação de uma profunda área de baixa pressão sobre o Sul do Brasil em torno da virada do mês que poderia provocar chuva localmente intensa e temporais.

Anúncios